Teles reivindicam concorrência para prestação de serviços à união

BRASÍLIA – A entidade que reúne os principais grupos de telecomunicações do país informou hoje que recebeu com “grande preocupação” a notícia divulgada nos últimos dias sobre a possibilidade de a Telebras ser contratada, sem licitação, para prestar serviços a órgãos da administração pública federal. “O (Sindicato Nacional das Empresas de Telefonia e de Serviço Móvel Pessoal e Celular) SindiTelebrasil repudia tal possibilidade e reitera seu posicionamento a favor da livre competição e de regras isonômicas para todos os agentes do mercado”, informou a entidade por meio de nota.

O SindiTelebrasil alega que a contratação da Telebras sem licitação contraria a Constituição Federal e com a Lei das Licitações (8.666/1993) ao ferir o princípio da isonomia. “As empresas que prestam serviços de telecomunicações devem ter a possibilidade de concorrer em igualdade de condições, com todo e qualquer competidor, na oferta de serviços de redes a órgãos públicos”, acrescentou.

O posicionamento manifestado pela entidade veio em reação à reportagem pública pela imprensa especializada. Segundo o portal “Tele.Síntese”, o governo voltou a considerar a possibilidade de editar decreto para que a Telebras forneça serviços de rede para os órgãos federais sem participar de processo licitatório.

A nota divulgada pelo sindicado menciona que, em dezembro do ano passado, retirou a ação judicial em que questionava tal prática. Na época, o governo se comprometeu, segundo a entidade, a preservar os princípios da livre competição.

(Rafael Bittencourt | Valor)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Pesquise as licitações no seu segmento agora

    Preencha seus dados para concluir a pesquisa

    Confira quantas oportunidades de venda existem no momento.
    Digite nome, e-mail e telefone para ver os resultados.





    Oportunidades de negócio esperando por você

    Aproveite o nosso período de teste gratuito e tenha sucesso no mercado de licitações.

    Licitações e dispensas