TCU adia novamente decisão sobre licitação de portos e da Ponte Rio-Niterói

O Tribunal de Contas da União (TCU) adiou mais uma vez a análise sobre o processo de licitação dos portos de Santos, em São Paulo, e de Santarém e Vila do Conde, no Pará, além dos terminais de Outeiro e Miramar, também no Pará.
Em 2013, o Tribunal condicionou a publicação do edital ao cumprimento de 19 itens, mas o governo federal questionou quatro condições sobre a obrigação de estabelecer tarifas-teto para todos os portos. Pedidos de vista já adiaram duas vezes a votação do processo.
A liberação do edital ainda depende de análise do TCU em embargos de declaração contra acórdão que considerou cumprida a maior parte das determinações feitas pelo tribunal para aprovação do edital.
Os ministros também adiaram a análise sobre processo de concessão da Ponte Rio-Niterói. O ministro Walton Alencar apresentou relatório aprovando com ressalvas o processo.
No relatório, ele determina que o edital seja publicado somente após a Agência Nacional de Transportes Terrestres (ANTT) retificar custos de mão de obra e de veículos contidos nas despesas operacionais do empreendimento para valores compatíveis com os praticados pela atual concessionária. O ministro Bruno Dantas pediu vista do processo.
O trecho a ser licitado é entre o acesso à Ponte Presidente Costa e Silva (Rio-Niterói) e o entroncamento com a RJ-071 (Linha Vermelha). Com 13,2 quilômetros de extensão, a Ponte Rio-Niterói foi repassada à iniciativa privada em 1º de junho de 1995, por um período de 20 anos. O atual contrato termina em maio de 2015.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Pesquise as licitações no seu segmento agora

    Preencha seus dados para concluir a pesquisa

    Confira quantas oportunidades de venda existem no momento.
    Digite nome, e-mail e telefone para ver os resultados.





    Oportunidades de negócio esperando por você

    Aproveite o nosso período de teste gratuito e tenha sucesso no mercado de licitações.

    Licitações e dispensas