Silval assegura liberação de R$ 380 mi

ANA ROSA FAGUNDES
Da Reportagem

O governador Silva Barbosa (PMDB) conseguiu ontem a liberação do ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento, para a licitação das obras de mobilidade urbana em Cuiabá e Várzea Grande para a Copa do Mundo de 2014. O ministro, inclusive, já confirmou presença no lançamento das licitações dessas obras. A data não foi definida.

Em visita a Brasília, o governador se reuniu ontem com seis ministros do governo Dilma Rousseff (PT). Entre as principais pautas do dia estavam a reestruturação da dívida pública dos Estados, a redução da dívida dos produtores rurais de Mato Grosso e a liberação de recursos para as licitações da Copa do Mundo em 2014.

Junto com uma equipe de secretarios, deputados federais e senadores, o governador percorreu os gabinetes do ministro de Minas e Energia, Edson Lobão; ministro dos Transportes, Alfredo Nascimento; ministro da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, Wagner Rossi; ministro do Desenvolvimento, Indústria e Comércio, Fernando Pimentel; e do presidente do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES), Luciano Coutinho, além do ministro da Saúde, Alexandre Padilha, que recebeu Silval em seu gabinete já no início da noite de ontem.

Conforme o secretário-chefe da Casa Civil, Éder Moraes, que acompanhou as rodadas de discussões, essa liberação é um passo importantíssimo para os trabalhos já desempenhados pelo governo e Agecopa no sentido de adiantarem as obras da Copa em Mato Grosso.

Serão R$ 384 milhões em investimentos, feitos por meio do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transporte (Dnit), que vão garantir a construção de trincheiras, viadutos e outras intervenções nos trevos da Miguel Sutil, Fernando Correa e Avenida da FEB. O ministro elogiou os projetos de Mato Grosso e garantiu a liberação das licitações para início das obras. O diretor-presidente da Agecopa, Yênes Magalhães, e o senador Blairo Maggi acompanharam essa audiência.

Outro assunto tratado pelo governador em Brasília foi o endividamento dos produtores rurais de Mato Grosso, que chega a R$ 2 bilhões. Num Estado em que a economia depende da produção rural, o governador fez questão de buscar soluções junto ao BNDES e com o Ministério de Desenvolvimento, Indústria e Comércio.

Conforme o secretário da Casa Civil, a situação está preocupante porque bancos já estão tomando o maquinário dos produtores, sem os quais eles ficam impossibilitados de trabalhar. O presidente do BNDES garantiu que irá se empenhar

Num resultado satisfatório para Mato Grosso, será formada uma comissão por representantes dos produtores, BNDES, Ministério de Agricultura, bancos envolvidos e governo do Estado, que num prazo de 30 dias irão realizar uma análise da quantidade de agricultores endividados, montante devido e outras informações necessárias para se procurar uma forma de resolver o problema.

Silval continua hoje na Capital Federal para se encontrar com outros ministros e discutir maior aporte de recursos para Mato Grosso. Parte do secretariado, porém, voltou ontem para participar hoje do treinamento para servidores públicos oferecido pelo Tribunal de Contas do Estado.

Dívida Pública – Propondo a rediscussão da dívida pública dos Estados junto à União, o governador Silval Barbosa expôs essa necessidade latente aos ministros do Desenvolvimento, Indústria e Comércio, Fernando Pimentel. Só em Mato Grosso, a dívida é de R$ 5 milhões. A intenção do governo é continuar com a peregrinação da em Brasília, indo ao ministro da Fazenda, Guido Mantega, e ao Congresso Nacional para criar um ambiente político e institucional propício para a aprovação dessa amortização.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Pesquise as licitações no seu segmento agora

    Preencha seus dados para concluir a pesquisa

    Confira quantas oportunidades de venda existem no momento.
    Digite nome, e-mail e telefone para ver os resultados.





    Oportunidades de negócio esperando por você

    Aproveite o nosso período de teste gratuito e tenha sucesso no mercado de licitações.

    Licitações e dispensas