Sanecap renova contrato com empresa de familiares do presidente da Câmara.

CLÁUDIO MORAES
Da Editoria

A Sanecap (Companhia de Saneamento da Capital) prorrogou por mais uma vez no último dia 05 o contrato de limpeza firmado em 2006 com a empresa Luppa Administradora de Serviços e Representações Comerciais Ltda. Ao invés de abrir uma nova licitação, a empresa pública resolveu aditivar R$ 14,290 mil ao contrato com a empresa, cujos sócias atuais são Marina Capaleri e Flávia Mesquita Gonçalves, esposa do atual presidente da Câmara de Vereadores de Cuiabá, Deucimar Aparecido da Silva (PP).

Além da Sanecap, a Luppa presta serviços a outros órgãos municipais. A empresa recebe cerca de R$ 80 mil por mês para atender o sistema de limpeza do pronto socorro municipal destinando cerca de 40 funcionários contratados.

De acordo com a Jucemat (Junta Comercial do Estado de Mato Grosso), a Luppa foi constituída em 31 de maio de 1994. A única sócia que “abandonou” o capital social foi Deucélia Regina da Silva, irmã do presidente do Legislativo cuiabano que administra um duodécimo mensal de cerca de R$ 1,950 milhão.

O interessante é que Deucimar Silva nunca constou como um sócios no contrato social da empresa registrado na Jucemat com o endereço na rua Euclides da Cunha, 179, no bairro Santa Cruz, em Cuiabá. Além de contratos na prefeitura municipal de Cuiabá, a Luppa dispõe de contratos milionários no Governo do Estado e órgãos federais, todos “vencidos” em licitações públicas, com cerca de 3,4 mil funcionários contratados cedidos no global.

Segundo o procurador adjunto da prefeitura de Cuiabá, Fernando Figueiredo, existe legalidade e amparo legal para que empresas de familiares do presidente da Câmara tenham contratos com o município. “Ele (Deucimar) é ordenador de despesas na Câmara e não na prefeitura. Os poderes são distintos”, esclareceu.

Prejuízo

Mesmo garantindo não ter nenhuma participação nos negócios da Luppa, o presidente da Câmara, Deucimar Silva, age em suas explicações como o real e verdadeiro dono da empresa. Em entrevista gravada por telefone, ele explicou que todos contratos da empresa com a prefeitura de Cuiabá foram feitos sem ele ter sido eleito vereador e que estão respaldados juridicamente.

Sobre o contrato de limpeza do pronto socorro, Deucimar Silva alega levar até mesmo prejuízo em alguns meses. “A prefeitura de Cuiabá é o contrato mais barato do Brasil. Por exemplo, o hospital regional de Rondonópolis não tem a metade dos atendimentos de Cuiabá e a empresa recebe R$ 200 mil por mês com a limpeza”, explanou.

Painel

Após ter articulado a cassação de dois colegas – Ralf Leite (PRTB) e Lutero Ponce (PMDB), Deucimar Silva tem cometido alguns gastos suspeitos no comando do Legislativo. Por exemplo, em dezembro do ano passado, o presidente contratou o artista plástico Vitor Hugo dos Santos para pintar um painel de 11 metros no plenário do Legislativo.

Segundo o site do Tribunal de Contas do Estado, Deucimar Silva mandou pagar R$ 40 mil pela obra de arte. O interessante é que o gasto do dinheiro público foi efetuado sem a realização de procedimento licitatório.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Pesquise as licitações no seu segmento agora

    Preencha seus dados para concluir a pesquisa

    Confira quantas oportunidades de venda existem no momento.
    Digite nome, e-mail e telefone para ver os resultados.





    Oportunidades de negócio esperando por você

    Aproveite o nosso período de teste gratuito e tenha sucesso no mercado de licitações.

    Licitações e dispensas