Prefeitura de Florianópolis ficará responsável por manutenção de semáforos

Até um novo processo licitatório, gestão municipal terá que garantir o bom funcionamento dos equipamentos

Motociclista morreu em trecho onde sinaleiras estavam desativadas
Motociclista morreu em trecho onde sinaleiras estavam desativadas

A Prefeitura de Florianópolis e o Deinfra (Departamento Estadual de Infraestrutura) chegaram a um acordo a respeito do impasse sobre a manutenção dos semáforos nas rodovias estaduais na Capital, deflagrado após um acidente com vítima fatal na Via Expressa Sul (SC-401), na terça-feira (2). Depois de rescindido o contrato com a Focalle Engenharia Viária – empresa responsável por monitorar e garantir funcionamento das sinaleiras –, também por conta da investigação da Polícia Federal na Operação Ave de Rapina, que aponta irregularidades no contrato com o Ipuf (Instituto de Planejamento Urbano de Florianópolis), os dois órgãos se reuniram e decidiram que a prefeitura fará a manutenção dos semáforos do Deinfra até que seja feito novo convênio ou licitação.
Ao contrário do que havia sido anunciado pelo procurador-geral do município, Alessandro Abreu, a prefeitura contratará de forma emergencial outra empresa e tomará para si a responsabilidade sobre os equipamentos instalados pelos 108 quilômetros de rodovias estaduais no município. Desta maneira, a gestão municipal atende reivindicação do Deinfra, que, tecnicamente, teria que fiscalizar o funcionamento dos semáforos por estarem localizados em rodovias sob jurisdição do Estado.
O compromisso assumido pela prefeitura tem como objetivo diminuir os riscos de acidentes e garantir segurança a motoristas, ciclistas e pedestres que circulam pela cidade. Na tarde de hoje, representantes das polícias Militar e Civil, Detran-SC e Secretaria Municipal de Segurança e Defesa do Cidadão se reúnem no gabinete do prefeito para discutir e definir ações preventivas de fiscalização e um novo modelo de segurança para o trânsito da Capital.
Radares também terão mudanças
Suspeita de fazer parte do maior dos esquemas investigados pela Operação Ave de Rapina, a Kopp, empresa responsável pelos radares que controlam velocidade na Capital, não terá seu contrato renovado pela prefeitura. A partir do dia 19 os serviços serão cancelados e a fiscalização estará suspensa até a contratação de outra empresa.
Os 69 equipamentos estão instalados em 13 pontos de fiscalização e monitoram o fluxo de veículos que passam pelos radares 30 milhões de vezes por mês. São cerca de oito mil infrações identificadas a cada mês, o que representa mais da metade das multas aplicadas em Florianópolis e boa parte da arrecadação – de acordo com o Portal da Transparência da prefeitura, a cidade recolheu R$ 10,5 milhões em multas em quase um ano e meio.
Procurada pela reportagem, a Kopp não quis se pronunciar a respeito da retirada dos radares, mas agentes públicos acreditam que isso deve ser feito até o fim do ano. A prefeitura, por sua vez, também colocará o problema da fiscalização eletrônica na reunião de hoje e intensificará a busca por uma nova empresa para assumir o controle dos radares.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Pesquise as licitações no seu segmento agora

    Preencha seus dados para concluir a pesquisa

    Confira quantas oportunidades de venda existem no momento.
    Digite nome, e-mail e telefone para ver os resultados.





    Oportunidades de negócio esperando por você

    Aproveite o nosso período de teste gratuito e tenha sucesso no mercado de licitações.

    Licitações e dispensas