Prefeitura apresenta projeto para a revitalização da rua Fredolin Wolf.

Serão investidos R$ 20,6 milhões na recuperação do trecho entre as ruas Nilo Peçanha, no Pilarzinho, e Manoel Ribas, em Santa Felicidade

O projeto de revitalização da avenida Fredolin Wolf foi apresentado à população em reunião pública no Pilarzinho, na noite desta terça-feira (23). Na avenida Fredolin Wolf, serão investidos R$ 20,6 milhões na recuperação do trecho entre as ruas Nilo Peçanha, no Pilarzinho, e Manoel Ribas, em Santa Felicidade, com recursos do programa Pró-Cidades, do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID), e da Prefeitura.

Na noite desta quarta (24), outra obra do programa, a da criação do binário Chile/Guabirotuba, será apresentada em reunião pública, no bairro Jardim Botânico, às 19h.

A reunião sobre a Fredolin Wolf reuniu 200 pessoas, entre moradores, comerciantes, incorporadores, empresários e lideranças comunitárias dos bairros Pilarzinho, São João e Santa Felicidade.

“As obras começam em abril deste ano, com uma reforma geral do que já existe e implantação de novas intervenções para tornar a via moderna e acessível, numa extensão de 7,6km”, disse o presidente do Instituto de Pesquisa e Planejamento Urbano de Curitiba (Ippuc), Cléver Almeida. “Este é o momento ideal para o início da obra, pois os caminhões que costumavam trafegar pela via, destruindo o pavimento, foram desviados para o Contorno Norte”, acrescentou.

A obra é de grande importância para a cidade, pois além de melhorar a vida de moradores e comerciantes, ainda cria uma nova alternativa de acesso rápido a Santa Felicidade e vai revitalizar os acessos aos parques Tanguá e Tingui, bem como a saída da Ópera de Arame, cartão-postal de Curitiba, beneficiando também a Linha Turismo, que tem como trajeto um trecho da Fredolin Wolf.

Antônio Stival, aposentado e morador no Pilarzinho há 56 anos, disse que as melhorias propostas pela Prefeitura serão benéficas para a população. “Vamos ver nossos imóveis valorizados, além de podermos contar com uma via melhor”, afirmou.

Tereza Boscardin, 65 anos e dona de casa, moradora na Fredolin Wolf há 31 anos, saiu tranqüila da primeira reunião explicativa sobre as obras da via. “Isso é respeito com a população. Uma forma interessante e diferente de apresentar a dimensão de uma obra tão grande e que vai afetar, por um tempo, a vida de todos os moradores do local”, disse. “É muito importante para a população se sentir integrada às decisões da administração municipal”, afirmou.

O projeto inclui também obras nas ruas Saturnino Miranda, uma continuação da Fredolin, da rua Franciso Dalalibera à avenida Manoel Ribas, em Santa Felicidade. No Pilarzinho, ruas que dão continuidade à Fredolin Wolf, como a Domingos Antonio Moro e a São Salvador, também serão revitalizadas, tornando a Fredolin Wolf um moderno corredor de ligação viária da região da Ópera do Arame a Santa Felicidade.

A avenida será alargada e terá de sete até 11 metros, conforme o trecho, ganhando nova rede de drenagem, meio-fio, nova capa asfáltica, ciclovias compartilhadas em toda a extensão, rampas de acesso para idosos e pessoas com deficiência, paisagismo, sinalização e novos abrigos para pontos de ônibus. Vários cruzamentos terão uma faixa adicional para permitir que as conversões à esquerda aconteçam com segurança para motoristas e pedestres. A rua Raposo Tavares terá sinalização semafórica e as ruas Amauri Lange Silvério e Ari José Valle terão rotatórias que vão melhorar a circulação. Atendendo a uma solicitação apresentada pelos moradores em audiências públicas da Prefeitura, o projeto também prevê que a Fredolin Wolf tenha, do Parque Tanguá até a rua Grazielli Wolf, duas faixas de acesso para quem segue em direção a Santa Felicidade.

Binário: A obra de implantação do binário formado pelas ruas Chile e Guabirotuba, nos bairros Rebouças, Prado Velho e Jardim Botânico, tem valor máximo de R$ 10,2 milhões.

Formado pelas ruas Chile, Guabirotuba e Pergentina Silva Soares, este trecho do binário Chile fará a interligação entre os bairros Jardim Botânico ao Prado Velho e Rebouças. No futuro, quando implantada a trincheira da Gustavo Rattman e também o binário Agamenon Magalhães/Roberto Cichon (obras que integram a Linha Verde Norte), este conjunto de obras consolidará importantes ligações viárias entre as regiões leste e oeste da cidade.

Binários são sistemas de trânsito formados por ruas paralelas, de mão única, em sentidos opostos. As ruas que farão parte do binário Chile/Guabirotuba atualmente têm mão dupla.

A empresa que vencer a licitação fará as obras de drenagem, pavimentação, passeio, paisagismo, iluminação e sinalização, além de uma ponte, uma galeria e uma trincheira sob a avenida Comendador Franco (a Avenida das Torres), que vai permitir a ligação da rua Pergentina Silva Soares (que será implantada) à rua Chile. Este trecho do binário se interligará ao binário existente formado pelas ruas Chile e Conselheiro Dantas.

No sentido bairro/centro, o binário Chile/Gabirotuba começará na Rua Alberto Twardowski, entrando pela rua Pergentina Silva Soares, que será implantada. Para acessar a rua Chile será feita uma trincheira que permitirá aos motoristas cruzar a Avenida Comendador Franco e chegar à Chile.

Será construída uma ponte sobre o Rio Belém, próximo à rua Josefina Zanier, além de uma galeria entre as ruas Imaculada Conceição e Iapó, obras que levarão o motorista à rua Conselheiro Laurindo, próximo ao Teatro Paiol. Neste ponto, o motorista poderá seguir pelo trecho do binário Chile que já está implantado.

No sentido centro/bairro, o Binário Chile funcionará desde o cruzamento da rua Guabirotuba com a Conselheiro Laurindo, cruzando a Avenida Comendador Franco (Avenida das Torres) até o início da rua Alberto Twardowski, no prolongamento da Guabirotuba (próximo ao Cietep). Quando estiver implantado o binário, a rua Chile ficará com o sentido único Jardim Botânico/Prado Velho e a rua Guabirotuba no sentido contrário.

Trincheira

A Prefeitura de Curitiba já deu início à implantação de algumas das obras que serão usadas como contrapartida no programa Pró-Cidades. É o caso da nova trincheira da rua Gustavo Ratman (Bacacheri- Bairro Alto), integrada com o trecho Norte da Linha Verde. A obra já teve o edital de licitação lançado e a expectativa é que os trabalhos sejam iniciados neste quadrimestre.

Dos US$ 100 milhões do programa Pró-Cidades, US$ 50 milhões serão garantidos pela Prefeitura de Curitiba. Os outros US$ 50 milhões serão financiados pelo BID.

Além da pavimentação de ruas, construção de trincheiras e implantação de binários, o programa prevê uma série de investimentos na área social, como a reurbanização de diversas de favelas em diversas áreas, entre elas as vilas Prado, Parolin, Três Pinheiros, Unidos do Umbará, Nori, Acrópole/Parque Nacional e Menino Jesus.

Na área social estão previstos ainda Centros de Convivência no Pinheirinho, Boa Vista e Bairro Novo e também Centros de Referência da Assistência Social (CRAS), no Parolin, Três Pinheiros, Unidos do Umbará, Cajuru/Parque Nacional, Campo de Santana/Rio Bonito, Bolsão Rose/Barigui, Audi/União.

SERVIÇO:

Audiência Pública sobre binário Chile/Guabirotuba
Quarta-feira (24), às 19h, na Paróquia Nossa Senhora de Lourdes, na praça Itália, 183, no Jardim Botânico.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Pesquise as licitações no seu segmento agora

    Preencha seus dados para concluir a pesquisa

    Confira quantas oportunidades de venda existem no momento.
    Digite nome, e-mail e telefone para ver os resultados.





    Oportunidades de negócio esperando por você

    Aproveite o nosso período de teste gratuito e tenha sucesso no mercado de licitações.

    Licitações e dispensas