Prefeitura adota medidas emergenciais e acelera obras de drenagem.

Postado por Departamento de Imprensa

Seg, 29 de Março de 2010 19:34

Obras de aumento da vazão do Vale Verde devem estar prontas em 45 dias

As secretarias de Obras, Habitação e Serviços Públicos e de Meio Ambiente, em conjunto com a Cursan, já vêm adotando medidas imediatas para solucionar os problemas de drenagem, que afetam em maior ou menor grau diversos bairros, por diferentes causas, além das chuvas torrenciais. Um plano emergencial de desobstrução do sistema de drenagem, com limpeza de bocas-de-lobo, galerias e canais, já está em andamento nas localidades que apresentam maior incidência de alagamentos. No Vale Verde, um dos bairros mais afetados pelas últimas chuvas, a recomposição das vias mais atingidas já está sendo feita desde domingo e as obras para aumentar a vazão das águas por baixo da via férrea – maior gargalo do bairro – já estão contratadas e devem estar concluídas dentro de 45 dias.
O secretário Municipal de Meio Ambiente, Vanderlei Oliveira, explicou que o Vale Verde apresentou inúmeros problemas com a forte chuva que caiu sobre o bairro no sábado (27). Segundo informou, o volume de água foi tão grande que provocou enchente e a enxurrada arrancou grande parte dos bloquetes de várias ruas, além de danificar o sistema de distribuição de água, servida pelo Programa Água Limpa, que foi refeito no dia seguinte. Vanderlei disse que os trabalhos de recomposição tiveram início já no domingo, prosseguiram na segunda-feira e estariam concluídos nesta terça (30).
Mas, ainda conforme o secretário, o maior problema naquele local é a limitação da capacidade de vazão das águas pelas tubulações que passam sob a via férrea, operada pela ALL. Para solucionar isso, já foi contratada empresa para efetuar obra que irá aumentar de quatro para nove os tubos de drenagem sob a ferrovia. Como o tráfego de composições não pode ser interrompido, será empregado na obra o ‘Método Não Destrutivo’ (MND), que irá fazer o rebaixamento do solo para a colocação das cinco novas manilhas, que irão mais que duplicar a capacidade de escoamento das águas.
Além disso, uma emenda ao Orçamento da União do deputado federal Beto Mansur assegurou um repasse do Ministério das Cidades de cerca de R$ 1,68 milhão, que, com a contrapartida do município da ordem de R$ 930 mil, totaliza recursos de mais de R$ 2,6 milhões, a serem empregados, em sua maior parte, no revestimento dos canais de drenagem do Vale Verde, solucionando definitivamente o problema, e em pequenas intervenções em algumas vias da Vila Nova e Parque São Luiz, para solucionar pontos de alagamento. Os recursos já estão aprovados e dependem apenas do aval da Caixa Econômica Federal para que a licitação tenha início.

Vila Esperança – No caso da Vila Esperança, por ser uma obra incluída em programa de urbanização com recursos do PAC e estar sob as condições acordadas entre Prefeitura e Ministério Público por meio de Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) – que proíbe ações e melhorias não previstas no documento -, só é possível promover pequenas intervenções emergenciais, que não caracterizem novas obras.
Por isso, conforme explicou o diretor presidente da Cursan, José Carlos Ribeiro, como o problema tem sua origem em aterros clandestinos, que impedem o escoamento, só vem sendo possível promover correções nos aterros irregulares, além da desobstruição, por parte da Cursan, do sistema de drenagem já existente em certas áreas, com, no máximo, a substituição de poucas manilhas muito danificadas pelas intervenções irregulares. A Prefeitura está, também, intensificando as ações para coibir a realização de novos aterros.
Porém, segundo o secretário de Obras, Wagner Moura, a solução para o bairro também já está próxima, pois as primeiras etapas das obras do PAC, que incluem sistema de drenagem e rede coletora de esgoto, já estão aprovadas e aguardam apenas a liberação do licenciamento ambiental para que tenham início.
Moura acrescenta que, para as demais regiões, além das desobstruções emergenciais e limpeza de canais e manutenção de comportas, está prevista a construção de 10 novos sistemas de drenagem, que, em alguns locais específicos, podem incluir a implantação de piscinões subterrâneos, entre outros equipamentos que solucionarão definitivamente o problema, conforme as necessidades apontadas pelo Plano Diretor de Macro Drenagem.
Para a implantação desse plano, a prefeita Marcia Rosa, além de protocolar na Casa Civil ofício pleiteando recursos da ordem de R$ 150 milhões, esteve em Brasília, nesta segunda-feira (29/3), para reiterar pessoalmente à ministra Dilma Rousseff e ao presidente Lula, a solicitação das verbas do PAC 2.

Texto: Jorge Ramos
20100329 – GP – Prefeitura Medidas Emergenciais obras drenagem

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Pesquise as licitações no seu segmento agora

    Preencha seus dados para concluir a pesquisa

    Confira quantas oportunidades de venda existem no momento.
    Digite nome, e-mail e telefone para ver os resultados.





    Oportunidades de negócio esperando por você

    Aproveite o nosso período de teste gratuito e tenha sucesso no mercado de licitações.

    Licitações e dispensas