Prefeito de Luís Correia: ‘Espero que o governo termine essa orla’.

Kim do Caranguejo veio ao 180graus e fez apelo ao governo do estado e à empresa Consladel

Em entrevista ao 180graus, o prefeito de Luís Correia (356km de Teresina), Kim do Caranguejo, fez apelo ao governo do estado e à empresa Consladel para que seja feito o pagamento de trabalhadores que atuaram na limpeza da orla marítima no reveillon e carnaval.

Ele disse que o executivo estadual se comprometeu em repassar R$ 150 mil para o pagamento dos prestadores de serviços. O prefeito também falou sobre a urbanização da orla. Ele disse que a pista já foi removida e espera que até julho as obras estejam concluídas. “Deus é de ajudar.” Segundo ele, na alta estação a cidade recebe até 100 mil turistas. Confira a entrevista.

180graus – Que considerações o senhor tem a fazer sobre esta situação?
Kim do Caranguejo – A situação é preocupante. Foi contratada a empresa Consladel foi contratada para fazer a limpeza na orla de Luís Correia. Em dezembro foi feita reunião com o secretário de Turismo e foi enviado ofício ao governo do estado pedindo apoio no valor de R$ 150 para que se fizesse a limpeza em toda a orla marítima de Luís Correia. O contrato anteriormente era feito com a Emgerpi. De novembro de 2009 a fevereiro de 2010 é que estamos com este problema de atraso no pagamento dos trabalhadores.

180graus – Como foi feito o contrato para a realização do serviço de limpeza?
Kim do Caranguejo – A empresa Consladel subcontratou a Still Construções para fazer o trabalho da limpeza. A empresa fez o trabalho e não recebeu o pagamento até hoje. Enquanto isso, os garis e donos de caçambas e caminhões estão é na porta da prefeitura. A prefeitura não tem nada a ver com isso. A municipalidade apenas pediu ao governo do estado que transferisse o dinheiro para o pagamento.

180graus – Por que o estado tem que assumir a limpeza de Luís Correia? Não seria uma obrigação da prefeitura?
Kim do Caranguejo – Nossa cidade tem cerca de 27 mil habitantes. No reveillon recebeu mais de 100 mil pessoas, um público de quase 50 mil pessoas no carnaval. Dificulta muito para uma prefeitura de pequeno porte, como nós somos, fazer um trabalho desse. Juntando todo o Fundo de Participação não teríamos condições de pagar serviços extras. Além do mais, o turismo é uma atividade regional, nacional e internacional. Está muito além das nossas possibilidades. O que fazemos é que a situação permite. E quando não temos condições recorremos às demais instâncias de Poder.

180graus – Qual tem sido o seu posicionamento? O que o senhor tem feito para tentar resolver o problema?
Kim do Caranguejo – Gostaríamos que a empresa que subcontratou a Still fizesse o pagamento para que os trabalhadores sejam pobres. São pessoas pobres, que trabalham pela necessidade de sobrevivência. É triste essas pessoas ficarem todo dia na expectativa e não conseguirem receber. Fiz esse apelo ao governador do estado. Acredito que será solucionado.

180graus – Particularmente, o senhor acredita numa solução rápida para este problema?
Kim do Caranguejo – O secretário Avelino Neiva, da Infraestrutura, deu uma nota no jornal, logo depois que eu concedi entrevista numa emissora de televisão, dizendo que todo o trabalho foi feito pelo governo do estado. Então, se foi feito pelo governo do estado, está na hora do governo fazer o repasse para a empresa a fim de que os pagamentos possam ser efetivados. Não posso dizer se a empresa já recebeu o pagamento. O que sei apenas é que todo dia a gente liga para o governo e nos dizem que já foi encaminhada a licitação e que o dinheiro será liberado em breve. Mas as pessoas que trabalharam não podem mais esperar. Espero que o governo mande seus representantes para pressionar a empresa a fim de que os pagamentos sejam feitos.

180graus – Qual é a situação atual da prefeitura de Luís Correia?
Kim do Caranguejo – A prefeitura de Luís Correia é pequena mas é organizada. Uma cidade em que seus funcionários recebem religiosamente em dia. No Natal, pagamos antes do Natal o 13º, os salários dos funcionários. Pode-se dizer que é uma prefeitura bem organizada, tudo o que fazemos é dentro de um planejamento. Agora, eu tenho um trânsito muito bom no governo, mas nem sempre podemos ficar calados. Como é que o governo vai saber que as coisas estão erradas se todos dizem apenas que está tudo bem?

180graus – O governo tem atendido aos seus pleitos como prefeito?
Kim do Caranguejo – Sou considerado um cidadão crítico. Fui para a televisão pedir ao secretário Assis Carvalho, da Saúde, para que ajudasse a nossa cidade. Hoje, o secretário está apoiando a cidade. Mandou ambulância no reveillon, no carnaval, mandou equipe de enfermeiros, ajudou na parte de medicamentos. Foi preciso fazer uma crítica construtiva para melhorar a cidade. Agora, estou pedindo que seja solucionado um problema pequeno, que é este da limpeza, do pagamento dos trabalhadores.

180graus – E quanto aos demais pleitos do município em relação ao estado?
Kim do Caranguejo – Encaminhamos vários projetos à Secretaria de Infraestrutura que fizesse calçamento na região do Camurupim. Inclusive, o governador falou que ia ser feito o calçamento no município de Luís Correia. Então, a obra precisa ser retirada da gaveta.

180graus – Como estão os trabalhos de urbanização da orla marítima?
Kim do Caranguejo – Começaram, depois do carnaval, a destruir a pista todinha da orla, para fazer a urbanização. Os calçadões, a própria pista nova que vai ser feita na orla de Atalaia. Espero que… Deus é de ajudar… que esses homens terminem essas obras até julho, porque do contrário ficará difícil para a praia de Atalaia, que é uma das praias mais visitadas do Nordeste.

REPÓRTER: Toni Rodrigues
Edição: Allisson Paixao

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Pesquise as licitações no seu segmento agora

    Preencha seus dados para concluir a pesquisa

    Confira quantas oportunidades de venda existem no momento.
    Digite nome, e-mail e telefone para ver os resultados.





    Oportunidades de negócio esperando por você

    Aproveite o nosso período de teste gratuito e tenha sucesso no mercado de licitações.

    Licitações e dispensas