Operação prende acusado de fraudar licitações no RS e no MT

O empresário já havia sido alvo da Operação Freio de Ouro, deflagrada em 2009

A Polícia Federal e a Controladoria Geral da União (CGU) deflagraram na manhã desta quinta-feira no Rio Grande do Sul e no Mato Grosso, a Operação Kamikaze. Um empresário, acusado de fraudar licitações e obter contratos públicos de prestação de serviços que ultrapassam R$ 40 milhões, foi preso. Policiais federais ainda cumprem três mandados de busca e apreensão na capital gaúcha.
O grupo criminoso atuava em todo Brasil participando de licitações públicas, principalmente em pregão eletrônico. O valor oferecido pelo serviço era abaixo do resto do mercado — prte do serviço era executado, mas sem o recolhimento de verba trabalhista nem previdenciária. Como as empresas estavam em nome de “laranjas” e não possuíam patrimônio, a União acabava respondendo subsidiariamente pelas dívidas.
O grupo utilizava documentos falsos e a participação de mais de uma empresa do grupo no mesmo processo licitatório.
O empresário preso se tornou o 13º maior devedor trabalhista do Estado e possuía 17 empresas, algumas em nome de terceiros. O suspeito já havia sido alvo da Operação Freio de Ouro, deflagrada em 2009, e já foi indiciado em mais de 20 inquéritos na Polícia Federal no RS, em Santa Catarina, no Paraná e em São Paulo. Pela Operação Kamikaze ele irá responder por fraude em ato licitatório e associação criminosa.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Pesquise as licitações no seu segmento agora

    Preencha seus dados para concluir a pesquisa

    Confira quantas oportunidades de venda existem no momento.
    Digite nome, e-mail e telefone para ver os resultados.





    Oportunidades de negócio esperando por você

    Aproveite o nosso período de teste gratuito e tenha sucesso no mercado de licitações.

    Licitações e dispensas