Obras iniciadas no perímetro urbano da BR-365 continuam paradas

por Carolina Monteiro
As obras iniciadas no perímetro urbano da BR-365 continuam paradas. Questionada sobre a previsão de retorno das intervenções desde a quarta-feira (28), a assessoria de imprensa do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte (Dnit) não retornou até a tarde desta quarta-feira (5).
No trevo do bairro Taiaman, zona oeste de Uberlândia, foi feita uma intervenção na BR-365 para preparação da construção de uma trincheira, mas a obra foi interrompida em outubro de 2013. A implantação de passagens inferiores das ruas Alagoas e Claudemiro José Barbosa, no bairro Brasil, setor central, por sua vez, foi interrompida em setembro deste ano.

Concentração de todo o fluxo de veículos nas avenidas laterais, Professora Minervina Cândida de Oliveira e Paulo Roberto Cunha Santos. (Foto: Cleiton Borges)
Concentração de todo o fluxo de veículos nas avenidas laterais, Professora Minervina Cândida de Oliveira e Paulo Roberto Cunha Santos. (Foto: Cleiton Borges)

Segundo o supervisor regional do Dnit, José Maria da Cunha, a Araguaia Engenharia, construtora responsável pelas obras, solicitou a rescisão contratual, devido uma falha técnica no projeto. O pedido está em análise na procuradoria jurídica. “O parecer técnico está pronto, mas enquanto não sair o parecer jurídico, a obra fica parada”, disse Cunha. Para convocar o segundo colocado da licitação ou dar inicio a nova seleção, a procuradoria precisa encaminhar o parecer à direção do Dnit, que leva o assunto para o colegiado, para emissão de uma prova. “Apenas mediante a decisão da diretoria, com a prova homologada, é que a recisão é publicada”.
As obras faziam parte do pacote de oito intervenções para melhoria do tráfego das rodovias no perímetro urbano de Uberlândia, do qual apenas a passagem da avenida Afonso Pena sob a BR-050 foi entregue. Moradores das imediações de ambos os locais reclamam das dificuldades geradas pelas intervenções inacabas, sem previsão de término.
População reclama da interrupção da construção de passagens inferiores
A maior queixa da comunidade, decorrente da construção de passagens inferiores sob a BR-365 das ruas Alagoas e Claudemiro José Barbosa, no bairro Brasil, para ligação ao bairro Marta Helena, zona norte, é a concentração de todo o fluxo de veículos nas avenidas laterais, Professora Minervina Cândida de Oliveira e Paulo Roberto Cunha Santos. Segundo o proprietário de uma empresa situada nesta última, Aloízio Caetano dos Santos, o aumento do fluxo na via dificulta o trânsito de clientes da sua garagem de carros e prejudica os negócios.
Segundo o supervisor regional do Dnit, José Maria da Cunha, a Araguaia Engenharia, construtora responsável pelas obras, solicitou a rescisão contratual, devido uma falha técnica no projeto. O pedido está em análise na procuradoria jurídica. “O parecer técnico está pronto, mas enquanto não sair o parecer jurídico, a obra fica parada”, disse Cunha. Para convocar o segundo colocado da licitação ou dar inicio a nova seleção, a procuradoria precisa encaminhar o parecer à direção do Dnit, que leva o assunto para o colegiado, para emissão de uma prova. “Apenas mediante a decisão da diretoria, com a prova homologada, é que a recisão é publicada”.
As obras faziam parte do pacote de oito intervenções para melhoria do tráfego das rodovias no perímetro urbano de Uberlândia, do qual apenas a passagem da avenida Afonso Pena sob a BR-050 foi entregue. Moradores das imediações de ambos os locais reclamam das dificuldades geradas pelas intervenções inacabas, sem previsão de término.
População reclama da interrupção da construção de passagens inferiores
A maior queixa da comunidade, decorrente da construção de passagens inferiores sob a BR-365 das ruas Alagoas e Claudemiro José Barbosa, no bairro Brasil, para ligação ao bairro Marta Helena, zona norte, é a concentração de todo o fluxo de veículos nas avenidas laterais, Professora Minervina Cândida de Oliveira e Paulo Roberto Cunha Santos. Segundo o proprietário de uma empresa situada nesta última, Aloízio Caetano dos Santos, o aumento do fluxo na via dificulta o trânsito de clientes da sua garagem de carros e prejudica os negócios.
5 de novembro de 2014 20:11
Obras iniciadas no perímetro urbano da BR-365 continuam paradas
por Carolina Monteiro 7 Comentários
As obras iniciadas no perímetro urbano da BR-365 continuam paradas. Questionada sobre a previsão de retorno das intervenções desde a quarta-feira (28), a assessoria de imprensa do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transporte (Dnit) não retornou até a tarde desta quarta-feira (5).
No trevo do bairro Taiaman, zona oeste de Uberlândia, foi feita uma intervenção na BR-365 para preparação da construção de uma trincheira, mas a obra foi interrompida em outubro de 2013. A implantação de passagens inferiores das ruas Alagoas e Claudemiro José Barbosa, no bairro Brasil, setor central, por sua vez, foi interrompida em setembro deste ano.
obras-BR3-65
Concentração de todo o fluxo de veículos nas avenidas laterais, Professora Minervina Cândida de Oliveira e Paulo Roberto Cunha Santos. (Foto: Cleiton Borges)
Segundo o supervisor regional do Dnit, José Maria da Cunha, a Araguaia Engenharia, construtora responsável pelas obras, solicitou a rescisão contratual, devido uma falha técnica no projeto. O pedido está em análise na procuradoria jurídica. “O parecer técnico está pronto, mas enquanto não sair o parecer jurídico, a obra fica parada”, disse Cunha. Para convocar o segundo colocado da licitação ou dar inicio a nova seleção, a procuradoria precisa encaminhar o parecer à direção do Dnit, que leva o assunto para o colegiado, para emissão de uma prova. “Apenas mediante a decisão da diretoria, com a prova homologada, é que a recisão é publicada”.
As obras faziam parte do pacote de oito intervenções para melhoria do tráfego das rodovias no perímetro urbano de Uberlândia, do qual apenas a passagem da avenida Afonso Pena sob a BR-050 foi entregue. Moradores das imediações de ambos os locais reclamam das dificuldades geradas pelas intervenções inacabas, sem previsão de término.
População reclama da interrupção da construção de passagens inferiores
A maior queixa da comunidade, decorrente da construção de passagens inferiores sob a BR-365 das ruas Alagoas e Claudemiro José Barbosa, no bairro Brasil, para ligação ao bairro Marta Helena, zona norte, é a concentração de todo o fluxo de veículos nas avenidas laterais, Professora Minervina Cândida de Oliveira e Paulo Roberto Cunha Santos. Segundo o proprietário de uma empresa situada nesta última, Aloízio Caetano dos Santos, o aumento do fluxo na via dificulta o trânsito de clientes da sua garagem de carros e prejudica os negócios.
obras-anelviariosul-cleitonborges4
Para o comerciante Aloízio Caetano dos Santos, os desvios de fluxo no Bairro Marta Helena dificultam o trânsito de clientes da sua garagem de carros e prejudicam os negócios (Foto: Cleiton Borges)
O dono da loja ao lado, Cássio Cardoso, disse que o barulho do trânsito é ensurdecedor. “Trabalhamos com portas e janelas fechadas e o nível de estresse está alto. Precisavam, pelo menos, direcionar os veículos pesados para o anel viário”, disse.
O estresse também é a motivação do morador da avenida Minervina, José Heider de Lima, para se mudar do local. “Meu quarto dá para a rua, parece que os caminhões estão lá dentro. Não consigo mais dormir.”
Moradores do trevo do bairro Taiaman aguardam recomeço das obras no escuro
A construção de uma trincheira no trevo do bairro Taiaman, para acesso ao bairro Dona Zulmira, na zona oeste, foi excluída do pacote de oito obras do Dnit, devido à necessidade de nova licitação. O que preocupa os moradores da região é a inexistência de local para travessia da rodovia por pedestres. A população acessa os bairros cruzando as pistas da BR, local de tráfego intenso de veículos.
trevo-taiamam-cleitonborges2
A construção de uma trincheira no trevo do bairro Taiaman, para acesso ao bairro Dona Zulmira, na zona oeste, foi excluída do pacote de oito obras do Dnit, devido à necessidade de nova licitação. (Foto: Cleiton Borges)
Moradores do bairro Taiaman chegaram a fazer uma manifestação para buscar a separação do trânsito urbano e rodoviário em agosto de 2013. Como resposta, a Prefeitura de Uberlândia instalou quatro lombadas na região. Na ocasião, segundo o Dnit, o impedimento à continuidade do processo era a retirada dos postes de iluminação do local. Uma vez tirados, em setembro de 2013, as obras continuaram paradas. Nivaldo dos santos mora em frente ao trevo e disse que já presenciou vários assaltos na região. “Vieram aqui, tiraram todos os postes de luz e nos deixaram no escuro. Mas a obra, que é bom, nem sequer começaram”, disse.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Pesquise as licitações no seu segmento agora

    Preencha seus dados para concluir a pesquisa

    Confira quantas oportunidades de venda existem no momento.
    Digite nome, e-mail e telefone para ver os resultados.





    Oportunidades de negócio esperando por você

    Aproveite o nosso período de teste gratuito e tenha sucesso no mercado de licitações.

    Licitações e dispensas