Novos ônibus estão parados por ‘prudência’.

Leandro Nogueira e Wilson Gonçalves Júnior

Cerca de cem novos ônibus que deveriam estar nas ruas continuam parados nas garagens. Ontem, vinte dias após um dos advogados da Transporte Coletivo Sorocaba (TCS) declarar que Vitor Lippi (PSDB) temia colocar os veículos em circulação o prefeito assumiu: “O Tribunal de Contas do Estado (TCE) avalia e nós temos a prudência de aguardar”. No dia 18 o advogado da TCS, Marcos Dolgi Maia Porto, declarou que a Prefeitura estava insegura quanto à contratação emergencial porque o prefeito e o presidente da Urbes, Renato Gianolla, poderiam responder por improbidade administrativa se a Justiça entendesse que houve irregularidades na contratação emergencial. Lippi também informou que avalia remunerar as empresas concessionárias de transporte público por passageiros embarcados e não por quilômetro rodado, como ocorreu atualmente.

Já o presidente da Urbes, Renato Gianolla, que só atende a reportagem por meio da assessoria de imprensa, respondeu por e-mail que o “temor” citado pelo advogado da TCS “é totalmente desprovido de fundamento, pois não há qualquer ação em curso no Judiciário relativa a tais contratos”. Informou que a TCS não conseguiu, tanto em primeira como em segunda instâncias a liminar que visava anular a caducidade da concessão, a intervenção e ainda que foi extinta a ação de prestação de contas que a TCS moveu contra a Urbes. O TCE também negou o pedido da imediata suspensão do procedimento que culminou com a contratação emergencial da novas empresas. Mas determinou que a Urbes e Prefeitura apresentassem as suas alegações, fazendo com que o prefeito optasse pela prudência.

O advogado da TCS disse ontem que recorrerá com as liminares em terceira e última instância. Tanto a Urbes como Lippi não arriscam dizer uma data para o início das atividades dos ônibus zero quilômetros equipados com elevador que substituirão a frota de ônibus antigos da TCS. “Temos a premissa de pedir orientação do TCE e isso leva mais tempo do que gostaríamos”, disse Lippi. Já a Urbes diz que não define o cronograma de transição em razão de alguns trâmites administrativos e jurídicos em andamento, inclusive com a participação do Sindicato, que busca a melhor alternativa para os motoristas. O início da circulação chegou a ser previsto para o início e final de setembro.

Urbes desconhece

A Urbes divulga que não tem dados precisos de quantos novos ônibus já estão nas garagens em Sorocaba das empresas que substituirão em regime emergencial a TCS: Auto Ônibus São João Ltda., Jundiá Transportadora Turística Ltda., Empresa de Ônibus Rosa Ltda. e Empresas Reunidas Paulista de Transportes Ltda. Ao todo serão 184 novos veículos e nos contratos emergenciais assinados com a Urbes, em 27 de junho deste ano, as empresas se comprometeram a viabilizar a entrega dos veículos em até 60 dias, ou seja, na semana passada.

Os ônibus podem ser vistos da rua nas garagens da São João, Rosa e Reunidas Paulista. Há informações de que também há novos veículos na garagem da Jundiá, que é fechada. Na São João 22 ônibus da nova frota são enxergados da rua, na Rosa, segundo informações, há 35 deles e na Reunidas Paulista, já havia 28 em agosto, pode ter aumentado. São 85 ônibus, a maioria já emplacados, sem considerar os da Jundiá. Segundo a Urbes as empresas continuam recebendo ônibus novos. “Os mesmos são submetidos a revisões mecânicas e elétricas, regularização de documentos, adaptações de bilhetagem e vistorias técnicas”, divulgou.

Lippi estuda mudanças na forma de remuneração das empresas de ônibus

Em entrevista concedida durante a inauguração do Sabe Tudo, no bairro Nova Esperança, Lippi informou na tarde de ontem que estuda rever a forma de contratação das empresas de transporte na próxima licitação. Elas passariam a ser contratadas por passageiro transportado e não por quilômetro rodado, para atender às orientações do TCE.

O prefeito disse que a remuneração por quilômetro rodado é melhor do ponto de vista social porque as empresas atendem todas as regiões da cidade, independente se vai ou não dar lucro. Enquanto que, por passageiro transportado, desejarão ter ônibus onde há mais passageiros. “Se operarem no vermelho vão pressionar para aumentar a tarifa”, disse Lippi.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Pesquise as licitações no seu segmento agora

    Preencha seus dados para concluir a pesquisa

    Confira quantas oportunidades de venda existem no momento.
    Digite nome, e-mail e telefone para ver os resultados.





    Oportunidades de negócio esperando por você

    Aproveite o nosso período de teste gratuito e tenha sucesso no mercado de licitações.

    Licitações e dispensas