“Natal está na Copa de 2014, o resto é especulação”, diz secretário

Novo titular da secretaria da Copa em Natal comenta imbróglio que envolve Estádio da Dunas

George Fernandes – Natal

Natal corre contra o tempo para encontrar um parceiro privado para a construção do Estádio das Dunas, palco da Copa do Mundo de 2014 na capital potiguar. Depois de atrasos no cronograma, burocracia, licitação deserta e puxão de orelhas da Fifa, que prorrogou o prazo de Natal para abril de 2011, o governo do Rio Grande do Norte aguarda a segunda abertura dos envelopes (prevista para 15 de fevereiro) para conhecer, finalmente, a empresa ou consórcio que colocará a mão na massa.

Em entrevista ao Portal 2014, o secretário estadual da Copa, Demétrio Paulo Torres afirma que Natal não perderá a Copa e que a cidade está cumprindo os novos prazos estabelecidos pela Fifa.

“Estamos lutando para não perder a Copa. O que nos dá a segurança de que Natal será sede da Copa é a posição clara, objetiva e determinante do presidente da CBF, Ricardo Teixeira. Os novos prazos estabelecidos são exequíveis.”

Os ajustes técnicos no edital, que reduziram em 5% (de R$ 420 a R$ 400 milhões) os custos da obra do estádio, e as novas garantias ao parceiro privado (aporte de R$ 70 milhões em dinheiro ao Fundo Garantidor, antes formado apenas por imóveis do governo) foram suficientes para atrair novos investidores?
Não tenho dúvida disso. Já contamos, inclusive, com sete empresas que retiraram o novo edital. Vale salientar que são construtoras que estão no topo do ranking nacional das empresas de construção civil. E pelo que já conversamos, não teremos problemas na abertura dos envelopes no próximo dia 15 de fevereiro.

Quais são as empresas?
Prefiro não revelar agora. Num momento oportuno, vamos divulgar o nome das empresas.

O senhor acredita que a nova licitação terá mais sucesso que a primeira?
Sim, acredito. Vai dar tudo certo e até abril vamos iniciar as obras do novo estádio. É bom deixar claro que a CBF e o Comitê Local da Copa deram prazo de 120 dias para que Natal apresentasse o nome da empresa vencedora da licitação. Isso não quer dizer que temos que começar as obras em abril deste ano, como está sendo divulgado. Temos que entregar o estádio pronto em dezembro de 2013. E como são, no máximo, 30 meses para se construir uma obra deste porte, as obras podem começar até junho deste ano. Mas como não queremos correr riscos, pretendemos iniciar as obras até o final de abril. Outra coisa, as PPPs no Brasil são poucas, ainda não há a cultura desde modelo de negócio público-privado, há um receio do setor privado e uma certa falta de conhecimento do poder público. O governo tem que ter cautela com a coisa pública, tem que ter responsabilidade, e o parceiro privado quer ter a garantia de que o negócio é seguro. Então, são estas coisas que precisam ficar entendidas.

Que garantia Natal tem de que vai sediar a Copa do Mundo?
Estamos lutando para não perder a Copa. O que nos dá a segurança de que Natal será sede da Copa é a posição clara, objetiva e determinante do presidente Ricardo Teixeira, da CBF e do Comitê Organizador Local. Além do mais, os novos prazos estabelecidos pela Fifa e pela CBF são extremamente exequíveis. O que existe no duro são apenas especulações. Muitas destas especulações vêm de fora para dentro do estado e nós precisamos estar vacinados. Trata-se de um grande evento, um grande negócio, onde há muitos interesses envolvidos. É uma luta muito grande e por isso precisamos da união de todos no estado para sediar esta Copa.

Qual o motivo da visita dos técnicos do Comitê Organizador Local da Copa, prevista para o próximo dia 20 de janeiro? Seria uma forma de pressionar mais ainda Natal?
Não, de forma alguma. Nós é que estamos convidando o pessoal do COL. Como eles se colocaram à disposição para qualquer coisa, estão vindo ver como estão os andamentos da licitação do estádio, ver no que podem nos ajudar, se for o caso. Não deixa de ser uma coisa estimuladora para as empresas que estão interessadas na obra. Não deixa de ser, também, uma demonstração pública de que os membros do COL querem que Natal seja a sede da Copa. O que o presidente Ricardo Teixeira afirmou está sendo reafirmado com esta visita.

O Estádio das Dunas não corre o risco de virar um “elefante branco”, já que os clubes de Natal vão ter seus estádios próprios até a Copa de 2014?
Veja só. Qual é o grande diferencial de uma arena como esta que será construída? É o conceito multiuso que ela tem. Não será um espaço para pequenos eventos. Mas, um ABC e América disputando o campeonato potiguar lota. Mesmo eles tendo seus próprios estádios, não vão ter o conforto e a tecnologia que vai ter esse da Copa e vão querer jogar lá. Nenhuma das doze arenas que serão construídas para a Copa no Brasil vai conseguir manter-se apenas com o futebol. Vamos ter um instrumento que também servirá para o futebol. Pode servir para shows, eventos dos mais diversos, pré-temporadas ou torneios internacionais e até ser adaptado para outras modalidades. O importante nessa história é o seguinte: não vamos sonhar com o impossível, mas vamos ser otimistas para que a gente tenha um equipamento como este e outros, senão você não tem o direito de sonhar que um dia vai ser grande.

Os dirigentes do futebol potiguar cansaram de reclamar que a organização da Copa em Natal não os convocou para participar ativamente do processo? Há lugar para eles?
Veja o seguinte. Esse momento agora é genuinamente uma obra, que tem um prazo pré-determinado. Então, num segundo momento e garantida esta obra, que é coisa de administrador, engenheiro e advogado, não é coisa do desportista em si, será importante que eles (dirigentes do esporte potiguar, principalmente, do futebol) tenham conhecimento e participem das decisões. É neste segundo momento que o pessoal do esporte será ouvido e participará mais ativamente de todo o processo. Não adianta conversar com o pessoal do futebol agora, dar um foco global, se precisamos concentrar esforços para o pontapé inicial, que é a construção do estádio e das obras de mobilidade urbana.

E por falar em mobilidade urbana, as obras estão paradas? Não se falou mais nelas?
Não tem nada parado. É que para iniciar as obras tem todo um processo burocrático, como licitações etc. A prefeitura de Natal, por exemplo, já licitou a primeira fase de obras de mobilidade urbana, que é de sua responsabilidade. O governo do estado já iniciou o prolongamento da av. Prudente de Morais, que liga o Estádio das Dunas ao Aeroporto Augusto Severo. Até o meio deste ano, licitaremos as intervenções da av. Roberto Freire (Estrada de Ponta Negra); e as obras da estrada que vai ligar o Aeroporto de São Gonçalo a Natal, também, já foram iniciadas. A ampliação do Porto de Natal e a construção do Aeroporto de São Gonçalo são obras do governo federal que estão em andamento. E a licitação do Porto, até aonde eu sei, deve sair ainda neste semestre.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Pesquise as licitações no seu segmento agora

    Preencha seus dados para concluir a pesquisa

    Confira quantas oportunidades de venda existem no momento.
    Digite nome, e-mail e telefone para ver os resultados.





    Oportunidades de negócio esperando por você

    Aproveite o nosso período de teste gratuito e tenha sucesso no mercado de licitações.

    Licitações e dispensas