Ministério injeta R$ 2 bi na Região

Kassab diz a prefeitos que ajudará Região e que, em Mogi, passagem será marco na história / Foto: Eisner Soares
Kassab diz a prefeitos que ajudará Região e que, em Mogi, passagem será marco na história / Foto: Eisner Soares

A passagem subterrânea da Praça Sacadura Cabral e os dois viadutos sobre a linha férrea foram os dois principais pedidos feitos pela Prefeitura de Mogi das Cruzes ao ministro das Cidades, Gilberto Kassab (PSD), que esteve ontem na Cidade para dialogar com prefeitos do Alto Tietê. A ideia é que os projetos das vias elevadas sejam inseridos no Programa de Aceleração do Crescimento (PAC). O Governo Federal prometeu que vai interceder pelo Município nos projetos já apresentados. A Pasta tem R$ 2 bilhões disponíveis para investimentos na Região, mas o valor pode aumentar conforme cheguem novos projetos.
O encontro foi ontem de manhã, na Escola de Governo, no Nova Mogilar. “Nós estamos aguardando a liberação dos recursos para a passagem subterrânea da Praça Sacadura Cabral porque o projeto já foi aprovado no ano passado. O ministro Kassab vai acompanhar isso e vai nos ajudar a pleitear este valor de R$ 98 milhões junto à União. A segunda solicitação de Mogi foram os dois viadutos cujos projetos estão parados há anos no Ministério dos Transportes. Nós pedimos ao ministro que esses viadutos sejam inseridos nas obras do PAC. O ministro vai trabalhar neste sentido. Se colocar apenas nas obras comuns do Governo, há a limitação orçamentária; quando o assunto é PAC, a situação é outra”, explicou o prefeito Marco Aurélio Bertaiolli (PSD), presidente do Consórcio de Desenvolvimento dos Municípios do Alto Tietê (Condemat). O primeiro pedido pode ser liberado nos próximos meses.
Questionado sobre os assuntos, o ministro confirmou a intenção de ajudar. “Mogi já tem verbas para serem liberadas. São pleitos que já existem há três, quatro anos. Não existe em qualquer lugar do mundo uma ideia que é apresentada hoje e daqui a seis meses já tenha verba liberada. A passagem subterrânea vai ser um marco na história de Mogi. A Cidade vai ser outra depois dessa obra e o Ministério assume este papel de parceria com o Município. Os projetos dos viadutos também estão aprovados e habilitados pelo Governo Federal. Como ministro, é meu papel, sou responsável por essas parcerias”, respondeu Kassab sem dar uma resposta definitiva sobre a ajuda que pode dar a Mogi.
A passagem na Sacadura vai eliminar um dos maiores gargalos do trânsito mogiano, nas imediações da estação central da Companhia Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) – leia mais na página ao lado. Um dos viadutos deve ficar nas imediações da estação Jundiapeba, perto do Real Park Tietê e o outro próximo da Avenida Cavalheiro Nami Jafet, na Vila Industrial. As vias elevadas devem compor o projeto do Corredor Leste-Oeste, ligação entre Jundiapeba e o Centro, e já contemplado pelo PAC. As obras dos viadutos ainda não têm valor estimado. “O Ministério dos Transportes contratou uma empresa para fazer os projetos e nos apresentar a estimativa. Ela deveria ter feito isso no ano passado e até agora não fez”, lembrou Bertaiolli.
Questionado sobre o valor de investimentos, o ministro Kassab ressaltou que o valor inicial é de R$ 2 bi. “A Região é muito importante para nós. A carteira de investimentos já definidos (já aplicados ou reservados) é de, pelo menos, R$ 2 bilhões. A nossa disposição é seguir em frente com todos os projetos e estabelecer, a partir desta reunião, uma nova carteira de investimentos que substituirá as obras já concluídas e que deve chegar a mais R$ 2 bilhões”, disse o político, evidenciando que o Governo trabalha com a estimativa de R$ 4 bi, no total, em investimentos no Alto Tietê.
A visita contou com as participações do deputado federal Marcio Alvino (PR), o deputado estadual Luiz Carlos Gondim (SD) e o ex-prefeito Junji Abe, presidente do Diretório Municipal do PSD.
Três áreas lideram pedidos de prefeitos
As obras de mobilidade, habitação e saneamento são os principais pleitos dos prefeitos do Alto Tietê que participaram do encontro com o ministro das Cidades Gilberto Kassab (PSD), ontem de manhã.
O prefeito Abel Larini (PR), de Arujá, solicitou ajuda do Governo Federal para a construção de 14,7 mil metros quadrados (m²) de calçadas com rampas acessíveis na região central da cidade (estimada em R$ 2.001.259,36), o recapeamento de 200 mil m² em vias de diferentes pontos (R$ 25.382.740,62) e a regularização fundiária de três novos núcleos habitacionais (Vicente Mateus, com 45 famílias, totalizando 200 pessoas e custo de R$ 60 mil; Estância Pacaembu, com 79 famílias e 520 pessoas e estimativa de R$ 90 mil; e Bairro do Retiro, com 110 famílias e 450 pessoas com custo de R$ 90 mil). No total, serão 234 famílias beneficiadas, totalizando 970 pessoas e pedidos que atingem a marca de R$ 27.623.999,92.
Em Biritiba Mirim, o prefeito Carlos Alberto Taino Junior (PSDB), o Inho, destacou a necessidade de pavimentação em vários pontos. “Sobre a questão da pavimentação, nós temos alguns projetos em andamento no PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) e a gente pediu essa liberação. Sobre as áreas de riscos, nós vamos pontuar e levar até Brasília para o ministro. Ele acenou que deve nos ajudar com isso também. O pleito anterior nosso era de R$ 10 milhões em duas cartas de investimentos. As duas cartas foram reduzidas para R$ 1,7 milhão. O ministro disse que tentaria aumentar este valor”, afirmou.
A Prefeitura de Ferraz de Vasconcelos apresentou pedidos nas áreas de habitação, infraestrutura e saneamento, além da canalização de córregos. Segundo a assessoria de imprensa da Administração Municipal, a maior preocupação do prefeito Acir Filló (PSDB) é a conclusão, por parte do Governo Federal, de 188 unidades habitacionais do “Minha Casa, Minha Vida”, na Vila São Paulo. Apenas 30% das obras estão concluídas e elas se arrastam há anos.
Guararema pediu ajuda para acabar com os riscos de deslizamento do Morro Branco. “A gente apresentou a prioridade das prioridades de Guararema. Na entrada principal da cidade, para quem vem pela Presidente Dutra (BR-116) ou Carvalho Pinto (SP-70), e acessa o Centro de Guararema, há uma encosta. É uma área de risco de 350 metros lineares. Essa encosta, em 2010, motivou uma tragédia, quando quatro pessoas morreram por conta dos deslizamentos causados por fortes chuvas. A entrada de Guararema ficou fechada totalmente na ocasião. É preciso fazer o retaludamento do local para evitar novas quedas de terra e o projeto já contempla também a reurbanização daquela área. Isso elimina a probabilidade de novos acidentes e já resolve a mobilidade. Já temos o projeto executivo e as licenças ambientais. O valor estimado é de R$ 13 milhões”, explicou o prefeito Adriano de Toledo (PR).
As demandas de Itaquaquecetuba chegam a R$ 54 milhões, segundo a Prefeitura. O valor deve contemplar a canalização de córregos, pavimentação, sinalização de ruas e coberturas de pontos de ônibus. “Itaquá é uma cidade muito carente. Mais da metade dos nossos pedidos está na Pasta do ministro Kassab. Já tive uma conversa anterior com ele, em janeiro, e havia dito sobre as nossas necessidades”, afirmou o chefe do Executivo.
Marcos Borges (PPS), de Poá, alertou para os problemas que a cidade tem com inundações. “Os pedidos de Poá são baseados nos casos de enchente. Estamos construindo um piscinão, mas é preciso um segundo projeto contra enchente. Queremos agilidade na liberação de verbas pela Caixa Econômica. Ao ministro, nós apresentamos o nosso projeto de drenagem. O excesso de água que acumular no Centro e não chegar ao piscinão, possa ser absorvido pelas redes de drenagem. De forma verbal, pedimos a ele que nos ajude junto ao Ministério dos Transportes, para viabilizar a construção de um segundo viaduto sobre a linha férrea. Quando um veículo quebra em alguma das faixas, o congestionamento fica imenso. O projeto de drenagem é estimado em R$ 30 milhões e viaduto em R$ 60 milhões”, disse.
Salesópolis, por sua vez, prevê R$ 8,2 milhões em investimentos. “O valor refere-se à pavimentação de quatro dos 15 km da Estrada da Petrobrás (R$ 3 mi), pavimentação de ruas pelo Centro (R$ 2 mi), aplicação em educação (R$ 2,7 mi) e R$ 500 mil para melhorias no cemitério local. “Essas intervenções são de grande importância para a cidade. O ministro se mostrou sensível aos pedidos”, avaliou o vice-prefeito Vanderlon Oliveira Gomes (sem partido).
Em Santa Isabel, as prioridades são a canalização de 3 km do Ribeirão Araraquara com ciclovia e pista de caminhada, calçamento para ruas do Jardim Eldorado e asfalto para a estrada municipal Jerusalém da Coreia. A estimativa é de R$ 30 milhões. O padre Gabriel Bina saiu da reunião antes de falar com toda a imprensa.
Assim como Filló, Paulo Tokuzumi (PSDB), prefeito de Suzano, quase perdeu a chance de falar com o ministro em razão de uma mudança no formato da reunião. Ele chegou por volta de 11 horas. O encontro, no entanto, começou às 9 horas e foi coletivo, ao invés das audiências individuais anteriormente programadas. Ele tinha horário reservado para o meio-dia. A Prefeitura resgatou uma carta consulta de 2013 de R$ 34 milhões para pavimentação de diversos bairros do Distrito de Palmeiras (Palmeiras, Jardim do Bosque, Jardim Amazonas e Vila Real Santista). O Governo Federal diminui o valor para R$ 10 milhões que deve contemplar pavimentação. Além disso, a Administração Municipal prevê um projeto de R$ 44 milhões que deve abranger todos os corredores da área central suzanense e recuperar os corredores de ônibus das zonas norte e sul, totalizando R$ 60 milhões. “Pedi para ele reavaliar e voltar o valor à casa dos R$ 34 milhões pela necessidade da cidade. Enviei outro projeto para a pavimentação dos corredores, que é um avanço de mobilidade que precisamos atingir”, concluiu.
Reunião em 60 dias vai detalhar projetos
Em 60 dias, os 11 prefeitos do Alto Tietê voltam a se encontrar com o ministro Gilberto Kassab (PSD), desta vez em Brasília.
“Os prefeitos apresentaram os pedidos e agora vão detalhá-los para apresentá-los ao Ministério das Cidades, em Brasília, para que tenham a sua tramitação interna realizada. Há, por parte do Governo Federal e do nosso Ministério, uma disposição muito grande em estabelecer parcerias com municípios da Região na área do saneamento, mobilidade urbana, principalmente com a aplicação de corredores BRTs, pontes, viadutos, passagens subterrâneas, e programas de acessibilidade e calçamento, fundamental para as médias e pequenas cidades, além de habitação. A nossa intenção é construir milhares de unidades do ‘Minha Casa, Minha Vida’ que vão ser somadas às milhares de unidades já entregues. Até o final da nossa gestão, em todo o País, queremos já ter contratadas 6.750.000.00 novas moradias habitacionais. Já foram entregues mais de 2 milhões”, acrescentou Kassab.
O prefeito de Guarulhos, Sebastião Almeida (PT), ex-presidente do Condemat também fez pedidos ao ministro. “Nós focamos na mobilidade urbana. Guarulhos preparou um plano diretor de mobilidade que possibilita uma integração maior de toda a cidade. Alguns contratos já foram assinados com o Governo Federal e outros ainda não. Pedi ao ministro uma forma de acelerar essas parcerias, já que os nossos mandatos, como prefeitos, entram em contagem regressiva. Ele foi muito receptivo. Para segunda, já marcou uma conversa dos nossos técnicos com os dele para detalhamento dos projetos. Os nossos pedidos giram em torno de R$ 500 milhões”, concluiu. (Lucas Meloni)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Pesquise as licitações no seu segmento agora

    Preencha seus dados para concluir a pesquisa

    Confira quantas oportunidades de venda existem no momento.
    Digite nome, e-mail e telefone para ver os resultados.





    Oportunidades de negócio esperando por você

    Aproveite o nosso período de teste gratuito e tenha sucesso no mercado de licitações.

    Licitações e dispensas