Médicos conseguem aumento, mas estado de greve continua.

Categoria cruza os braços se projeto não for aprovado 2ª na Câmara

Reunião entre prefeitura e comissão de médicos terminou com aumento salarial de R$ 900, a ser concedido em janeiro de 2010, para a categoria. Além disso, encontro, que durou mais de três horas ontem, definiu adequação dos outros 13 itens reivindicados pelos profissionais.

Mesmo após pressão que culminou em aumento, categoria continua em estado de greve e ameaça paralisação caso projeto em que conste todas as mudanças não seja aprovada na próxima segunda-feira, 5 de outubro, na câmara.

Entre os itens acertados pelo município com os médicos, além do aumento salarial, está a abertura de licitação para que haja a realização de mais exames laboratoriais. Modificações nos planos de cargos e carreiras dos servidores da saúde também estão contemplados.

Prefeito Mário Bulgareli considerou situação da saúde como um ‘desconforto’ passageiro. “Acho justa a reivindicação dos médicos, fizemos justiça há uma política que há mais de 30 anos existia”.

Após a reunião na prefeitura, cerca de 70 médicos das UBS (Unidades Básicas de Saúde) participaram de assembleia na Casa do Médico. Segundo comissão, proposta foi aceita com 95% dos votos.

Representante da comissão, médico Feres Abrão, destacou que categoria abriu mão do salário mais alto (R$ 7 mil) em prol das melhorias que serão feitas em caráter de urgência em todo o sistema de saúde.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Pesquise as licitações no seu segmento agora

    Preencha seus dados para concluir a pesquisa

    Confira quantas oportunidades de venda existem no momento.
    Digite nome, e-mail e telefone para ver os resultados.





    Oportunidades de negócio esperando por você

    Aproveite o nosso período de teste gratuito e tenha sucesso no mercado de licitações.

    Licitações e dispensas