Mais de 60 alunos da UnB entregam carta de demandas que garantam mais segurança no câmpus.

Reitoria diz que se manifestará sobre o assunto até o próximo dia 27

Publicação: 20/03/2010 08:14 Atualização: 20/03/2010 08:28
“Eu não quero mais estudar em uma universidade que é cúmplice da violência.” O desabafo da estudante de geografia Luana Weyl, 18 anos, foi recebido com uma salva de palmas por colegas que lotaram o auditório da Reitoria da Universidade de Brasília (UnB). Ao som de marchas de repúdio ao machismo, ao estupro e à insegurança, mais de 60 alunos se reuniram com o reitor, José Geraldo de Sousa Júnior, na tarde de ontem para entregar uma carta de exigências a fim de incrementar a segurança do câmpus Darcy Ribeiro. A iniciativa foi de um grupo de alunas revoltadas com mais um caso de estupro, ocorrido na segunda-feira, contra uma estudante de letras. Desta vez, ao contrário da reunião de quarta-feira, muitos homens participaram do encontro e levantaram a bandeira contra a violência.

A lista de providências pede, principalmente, que os câmpus da UnB sejam limpos e melhor iluminados, que haja a contratação de vigilantes e seguranças mulheres, o aumento do transporte interno gratuito, a transparência da reitoria em relação aos casos de violência sexual dentro da universidade e a criação de um centro de referência das mulheres. “Nosso corpo não é objeto. A cada mulher, a cada homem que se solidariza, peço que não aceitem que as promessas não saiam do papel. Vamos nos manifestar até que algo aconteça. Não queremos mais ter medo”, declarou Juliana Peña, 19 anos, aluna de ciências sociais. “Sabemos que a segurança tem gente suficiente, mas por problemas políticos, não existe planejamento tático”, criticou a estudante de letras Priscila Francisco Pascoal, 27 anos. O documento não foi assinado por José Geraldo, que pediu mais tempo para refletir sobre o conteúdo da carta. Ele, no entanto, concordou em se manifestar publicamente sobre o assunto até o dia 27, data estipulada pelas estudantes.

O reitor disse que não vai “fugir das responsabilidades” e defendeu a divulgação das estatísticas criminais da UnB. “A informação serve para proteger, para envolver a sociedade no debate e criar soluções”, acrescentou. Entretanto, frisou que muitas decisões não dependem só da reitoria. “A universidade é uma estrutura complexa. Não basta definir em um ato. É preciso criar condições para fazer as mudanças funcionarem”, alegou. No início da tarde, o mesmo auditório foi palco para a 3ª reunião do Conselho Comunitário de Segurança da UnB. Estiveram presentes tanto conselheiros quanto membros do GDF e das polícias Militar e Civil, que pediram uma parceria com a comunidade acadêmica. O prefeito da UnB, Silvano da Silva, afirmou que o edital para a licitação de modernização e ampliação da iluminação, obra orçada em R$ 1,7 milhão de reais, será publicado na semana que vem. Segundo ele, mais de 1 mil novos pontos de luz se somarão aos 2 mil presentes hoje.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Pesquise as licitações no seu segmento agora

    Preencha seus dados para concluir a pesquisa

    Confira quantas oportunidades de venda existem no momento.
    Digite nome, e-mail e telefone para ver os resultados.





    Oportunidades de negócio esperando por você

    Aproveite o nosso período de teste gratuito e tenha sucesso no mercado de licitações.

    Licitações e dispensas