Licitação do monotrilho de Manaus segue mesmo sem liberação do MP

Abertura de proposta técnica ocorreu ontem, mas MPs podem anular a concorrência

Jackeline Farah – Manaus

Mesmo sem o aval do Ministério Público Federal e Estadual do Amazonas, a licitação do Monotrilho de Manaus, obra vinculada à Copa 2014, avançou mais uma etapa na última quinta-feira (10), com a abertura da proposta técnica do consórcio interessado.

De acordo com informações da Comissão Geral de Licitação do Amazonas (CGL), a proposta técnica será julgada pela consultoria Pricewaterhousecoopers, que desenvolveu o projeto. O resultado do julgamento está previsto para próxima segunda (14), às 10h.

Segundo a CGL, a próxima fase da licitação será a entrega de proposta de preço, que deve começar após a divulgação do resultado da proposta técnica.

Os Ministérios Públicos, no entanto, determinaram a anulação da concorrência. O governo do Amazonas terá 20 dias para informar sobre o cumprimento da recomendação, caso contrário os responsáveis podem ser processados por improbidade administrativa.

“O projeto básico está incompleto e não caracteriza completamente a obra e seu custo, o que pode gerar vários riscos à Administração Pública em face de inevitáveis aditivos ilegais que serão futuramente firmados tendo como origem os vícios apontados”, diz trecho do ofício dos MPs.

De acordo com o coordenador da Unidade Gestora do Projeto Copa (UGP Copa), Miguel Biango, o governo do estado responderá ponto a ponto os questionamentos feitos pelos Ministérios Públicos a respeito do monotrilho. “Se tiver que ser feita alguma correção, vamos fazê-la”, disse.

Após analisar os projetos e as informações repassadas pelo governo amazonense, a Controladoria Geral da União (CGU) concluiu que ainda existem “graves irregularidades no projeto básico do monotrilho” e considerou o modelo inviável economicamente.

Segundo nota emitida ontem pelo MPF/AM, a obra do monotrilho é complexa e levaria mais de dois anos para ser concluída. Ou seja, não ficaria pronta até a Copa de 2014.

Das duas concorrentes que se apresentaram para a licitação, continua na disputa apenas o Consórcio Monotrilho Manaus, composto pelas empresas CR Almeida, Mendes Junior, Serveng Civilsan e Scomi. As três primeiras são construtoras e a Scomi é empresa da Malásia fornecedora de trens.

Capacidade
O projeto de monotrilho elaborado para Manaus pode atender até 170 mil pessoas/dia. O modelo, um tipo de metrô de superfície que trafega em via exclusiva suspenso em vigas, ligará, na primeira etapa, o bairro da Cidade Nova (zona norte) ao Centro, tendo como eixo a av. Constantino Nery.

No entanto, estudos técnicos acessados pelos MPs constataram uma redução do traçado do monotrilho de 20 km para 15 km, além de distância entre as estações entre 1,6 km e 3,9 km, considerada inadequada por estar acima do padrão adotado para as estações de metrô.

A obra é estimada em R$ 1,3 bilhão, e será bancada com fontes de financiamento que incluem recursos do estado e do governo federal, além de BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social), BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) e iniciativa privada.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Pesquise as licitações no seu segmento agora

    Preencha seus dados para concluir a pesquisa

    Confira quantas oportunidades de venda existem no momento.
    Digite nome, e-mail e telefone para ver os resultados.





    Oportunidades de negócio esperando por você

    Aproveite o nosso período de teste gratuito e tenha sucesso no mercado de licitações.

    Licitações e dispensas