Licitação do Maracanã sai no próximo ano e interessa a Eike Batista

São Paulo – A concessão (ou outorga) do estádio do Maracanã, no Rio de Janeiro, aliviará o estado dos custos com sua gestão mas não trará de volta os R$ 860 milhões já dispendidos pelo governo fluminense nas obras de remodelagem iniciadas ali em 2010, segundo afirmou o secretário estadual da Casa Civil do Estado do Rio de Janeiro, Régis Fichtner. O secretário assegurou ainda que a ideia é promover a licitação do complexo esportivo em 2012. E o bilionário Eike Batista já adiantou que pretende concorrer na mesma.

Mesmo sem seu edital pronto, a privatização do Maracanã já começa a atrair o setor empresarial, o qual deu início neste ano às primeiras sondagens visando a formação de consórcios. “Ainda estamos trabalhando na modelagem da licitação, que deverá definir os detalhes de como a mesma será feita”, afirmou Fichtner. Já Batista afirmou que deverá participar da disputa pelo Maracanã por meio da IMX, nova empresa por ele criada a partir de uma associação com a americana IMG Worldwide, voltada à gestão de arenas esportivas.

Fichtner disse já ter sido buscado por grandes grupos interessados no negócio. A concessão prevê a transferência da gestão do equipamento e da responsabilidade jurídica por decisões tomadas pelos gestores, ao passo que a outorga envolve o compartilhamento destas responsabilidades pelo Estado.

Nova plataforma

A OSX (outra das companhias pertencentes ao Grupo EBX de Eike Batista e que oferece equipamentos para o setor naval) comunicou sexta-feira que conseguiu um empréstimo de R$ 850 milhões para a construção e instalação de sua 2ª plataforma de produção e armazenamento de petróleo e gás, a FPSO OSX 2.

O acordo foi feito com um pool de bancos liderado pelo ING, Itaú-BBA e Santander e contou ainda com o HSBC, Citibank, ABN Amro Bank, Banco do Brasil e NIBC. A FPSO OSX 2 terá capacidade de produção de 100 mil barris de óleo/dia e armazenamento de 1,3 milhões barris.

As condições do empréstimo são uma taxa de juros média de Libor + 4,41% ao ano, um prazo de repagamento de 12 anos a partir da data da assinatura do contrato e juros trimestrais, financiáveis durante o período de carência e amortização linear até o 12º ano, a contar de 3 meses do início de produção de óleo pela unidade.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Pesquise as licitações no seu segmento agora

    Preencha seus dados para concluir a pesquisa

    Confira quantas oportunidades de venda existem no momento.
    Digite nome, e-mail e telefone para ver os resultados.





    Oportunidades de negócio esperando por você

    Aproveite o nosso período de teste gratuito e tenha sucesso no mercado de licitações.

    Licitações e dispensas