Investimento previsto é de R$ 800 milhões na malha de 700 km.

Com a conclusão do gasoduto Recife-Caruaru, em dezembro do ano passado, o próximo passo é construir uma interligação até o Araripe. A proposta é fazer a licitação ainda neste ano para que esteja pronto até 2014. Será uma obra seis vezes maior. Enquanto o percurso entre a capital pernambucana e o Agreste foi de 120 km, para chegar até Araripina, a malha terá mais 700 km. O investimento previsto é de R$ 800 milhões, com geração de mais de mil empregos. A obra do gasoduto Recife-Caruaru custou R$ 116 milhões e empregou 400 pessoas.
Foto: Agência Petrobras/Divulgação
A chegada do gás no Araripe teria um impacto ambiental positivo, visto que mudaria a matriz energética da produção do gesso, hoje baseada na queima de lenha retirada da caatinga. A execução do projeto, no entanto, não é comercialmente viável. “O trecho entre Caruaru e Araripina agregaria um consumo diário entre 100 e 200 mil metros cúbicos. Não consigo ter aprovada a viabilidade técnica e econômica dentro da empresa. Mas a ampliação da malha é do interesse do governador Eduardo Campos”, explica Aldo Guedes, presidente da Companhia Pernambucana de Gás (Copergás).
Nesta segunda, Anderson Gomes (secretário de Ciências e Tecnologia), Tadeu Alencar (procurador Geral do Estado), Ricardo Leitão (secretário da Casa Civil), João Bosco (secretário de Recursos Hídricos), Geraldo Júlio (secretário de Planajamento e Gestão) e o presidente da Copergás se reúnem para discutir alternativas para o financiamento do gasoduto através do governo federal. “Devido ao apelo ambiental, é possível que existam fundos que viabilizem este projeto. Vamos buscar todas as brechas”, comenta Guedes.
Com a conclusão do gasoduto Recife-Caruaru, a Copergás planeja levar o gás ao Araripe através de carretas, dentro de 30 dias. “Já temos três distribuidoras (White Martins, Mastergás e CDGN) assinando contrato nessa semana para se instalarem na central de gás que foi construída no município. Mas apesar da isenção de ICMS, dada pelo governo do estado, no final do ano pasado, para oslocais onde não existe gasoduto, essa logística ainda é muito cara. O gás precisa chegar com preço competitivo”, diz.
A ideia é que o gasoduto Caruaru-Trindade entre em operação em 2014. “Queremos fazer a licitação ainda neste ano”, adianta Guedes. Apesar da demora de seis anos para a conclusão dos 120 km do gasoduto Recife-Caruaru (entre o lançamento em 2004 e o término no fim de 2009), a companhia estima um tempo de obra de dois anos para o trecho de 800 km entre Caruaru e Araripina. “A obra do gasoduto Recife-Caruaru atrasou porque a primeira construtora abandonou o projeto”, justifica Aldo Guedes.
O primeiro edital de licitação foi lançado pela Copergás em abril de 2004. A construtora baiana GDK venceu a licitação, assinando, em janeiro de 2005, o contrato para execução da obra que tinha valor de R$ 95 milhões e conclusão para janeiro de 2007. Ao descobrir rochas no traçado, a empresa pediu mais R$ 47 milhões, o que não foi aceito pela Copergás. A construtora, então, abandonou o projeto em 2007 e foi aberta nova licitação. A ganhadora foi a alagoana Tecmaster, que retomou a construção do gasoduto em agosto de 2008. “Esperamos não ter tal problema dessa vez”, diz Guedes.
Números
Distância: 700 km
Investimento: R$ 800 milhões
Duração da obra: 2 anos
Empregos: 1 mil vagas
Consumo inicial: 200 mil m3/dia
Previsão de operação: 2014

Fonte: Diário de Pernambuco/Mirella Falcão

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Pesquise as licitações no seu segmento agora

    Preencha seus dados para concluir a pesquisa

    Confira quantas oportunidades de venda existem no momento.
    Digite nome, e-mail e telefone para ver os resultados.





    Oportunidades de negócio esperando por você

    Aproveite o nosso período de teste gratuito e tenha sucesso no mercado de licitações.

    Licitações e dispensas