Infraero diz estar preparada para movimentação de cargos no final do ano

Fonte: Isaac de Paula – portalamazonia@redeamazonica.com.br

MANAUS – Apesar do receio de empresários, a Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero) diz estar preparada para atender a demanda de cargas do Polo Industrial de Manaus (PIM). Com a aproximação dos meses de setembro e outubro, o movimento nos Terminais de Cargas do Aeroporto Internacional Eduardo Gomes tende a aumentar devido aos pedidos de estoque para o final do ano. No inicio de 2010, vários empresas apontaram atrasos no serviço e culparam a Infraero por prejuízos na faixa de R$ 500 milhões à indústria no Polo.

Os investimentos contínuos nos Teca, as estruturas lonadas já construídas e a contratação de novos funcionários são apontados pela Infraero como pontos positivos para a agilidade da liberação das cargas já para este ano. Segundo a assessoria da empresa, 87 novos funcionários concursados estão sendo contratados. O número deve somar ao contingente já existente de 67 trabalhadores. Além disso, está sendo organizada uma licitação para outros 459 funcionários terceirizados. O maior número de trabalhadores tende a agilizar o descarregamento e movimentação das cargas.

Sobre os espaços para armazenagem dos produtos, a Infraero defende que apesar das obras nos Teca I e II ainda não terem sido concluídas, estruturas lonadas somando 2,5 mil metros quadrados foram construídas. Com este tamanho, a empresa acredita que não haverá maiores problemas com o recebimento das demandas de final de ano. Atualmente, os pátios e os lonados estão vazios, esperando o crescimento que deve começar já no próximo mês, em setembro.

Expectativa

Para a assessoria da Infraero, o receio de que haverá novos problemas no recebimento das cargas é uma visão pessimista. Dados da empresa mostram que no mês de julho, a Infraero registrou 7.500 toneladas de cargas. No maior pico do ano, durante o mesmo período dos problemas de cargas paradas no Aeroporto, foram contabilizadas 8,5 mil toneladas. Comparando os dois números, os funcionários acreditam que os trabalhos serão normalizados.

Caso ocorram problemas, a Infraero disse que irá convocar trabalhadores dentro do plano de contingência para atuarem 24 horas. A medida já havia sido tomada no mês de abril, e pode ser retomada conforme a demanda detectada.

Cadeia

De acordo com o órgão, a empresa não é a única responsável pelo “estrangulamento” na liberação de cargas. A migração para o modal aéreo devido a deficiência de portos teria sido a causa do boom da demanda. Esse crescimento, segundo a Infraero, estava fora da programação de voos regulares do cargueiro. Para evitar um novo contratempo, a Infraero afirma que é necessário o planejamento por parte das empresas e a comunicação ao órgão das decisões. A união das cadeias logísticas, que incluem as empresas transportadoras, desempenharia papel importante na agilidade do serviço.

Estrutura

O Aeroporto Internacional Eduardo Gomes é o maior aeroporto da região Norte do Brasil, em número de passageiros e em movimento de aeronaves da região. É também o terceiro maior aeroporto em movimentação de cargas do país, atrás apenas de Cumbica e Viracopos. (IP)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Pesquise as licitações no seu segmento agora

    Preencha seus dados para concluir a pesquisa

    Confira quantas oportunidades de venda existem no momento.
    Digite nome, e-mail e telefone para ver os resultados.





    Oportunidades de negócio esperando por você

    Aproveite o nosso período de teste gratuito e tenha sucesso no mercado de licitações.

    Licitações e dispensas