Grande Cervezão cresce com suporte e reconhecimento da Prefeitura de Rio Claro.

O governo de Rio Claro vem transformando o Grande Cervezão numa área preferencial para o desenvolvimento das políticas sociais subscritas pela administração do prefeito Du Altimari e da vice-prefeita Olga Salomão. Em pouco mais de um ano de mandato, aquela região da cidade, com população estimada em mais de 50 mil pessoas, recebeu investimentos que evidenciam essa inclinação da administração para atender “as demandas de um contingente importante da população constituído, fundamentalmente, por migrantes e trabalhadores, que elegeram a cidade como berço de seus filhos e netos”, justifica o prefeito Du Altimari.

As estatísticas oficiais confirmam que a economia do município é diversificada e sólida o suficiente para continuar gerando empregos, o que é ratificado pela Federação e Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (Fiesp e Ciesp), cujos levantamentos, em março, situam a diretoria regional de Rio Claro, entre as 23 existentes no estado, como a que apresentou melhor variação positiva na geração de emprego industrial nos últimos doze meses O levantamento, posicionou o município em primeiro lugar, com índice de 18,73%, bem acima da segunda (Matão, 15,86%) e terceira colocada (Franca, 11,76%) na pesquisa. O Grande Cervezão responde por considerável parte destes índices.

Vários serviços e atendimento, antes concentrados no centro da cidade, já foram incorporados pela administração municipal à vida dos cidadãos residentes no Grande Cervezão. A primeira iniciativa de vulto, neste aspecto, foi consubstanciada com a implantação da subsede da Guarda Civil Municipal, descentralizando o aparato de segurança pública. Depois, nas semanas seguintes, no final do ano passado, foram inauguradas as unidades avançadas do Banco do Povo Paulista (BPP), do Posto de Atendimento ao Trabalhador (PAT) e o Telecentro do programa Acessa São Paulo, que levou a inclusão digital, com internet gratuita àqueles moradores.

EDUCAÇÃO

Na área educacional, o governo local está concluindo o novo prédio da Creche Santa Rosa e a Creche do Jardim Progresso, ambas previstas para serem entregues no segundo semestre deste ano. São equipamentos de grande importância no contexto daquela população, onde é elevado o número de mulheres, não raro chefes de família, que trabalham fora de casa.

As duas unidades totalizarão investimentos de R$ 2,3 milhões e quase a metade do valor já foi pago. No, entanto, a Secretaria de Educação já está colocando em licitação a elaboração do projeto técnico para o novo prédio da Escola Municipal Sueli Aparecida Marin. A área escolhida para as novas instalações dessa unidade, hoje localizada no Jardim São João, é atualmente ocupada por uma obra abandonada, concebida no passado para abrigar o Centro Comunitário do Jardim Ipanema.

Com a solução apresentada – o aproveitamento de um terreno e de uma obra ociosa – o município resolve outra questão crucial e amplamente favorável à educação: transferida para sua nova sede, no Jardim Ipanema, a Escola Sueli Aparecida Marin liberará área que divide, atualmente, com a Escola Mitiko Nevoeiro, permitindo que esta também seja ampliada e aumente sua capacidade de atendimento no Jardim São João. “Neste caso, promovemos uma ação ‘casada’, que recupera um espaço ocioso e melhora a nossa estrutura educacional”, resume a secretária Heloísa Maria Cunha do Carmo.

MEIO AMBIENTE

Entre os investimentos destinados ao setor ambiental, a Prefeitura de Rio Claro deverá homologar, no início da próxima semana a empresa vencedora da licitação aberta para a construção dos três primeiros Ecopontos do município, um deles justamente localizado no Cervezão. O Ecoponto, descrito como espaço apropriado para o descarte de recicláveis e móveis, entre outros materiais (exceto lixo doméstico e entulhos de construção) terá grade de proteção, uma pequena construção dotada de banheiro e uma rampa. Seu custo está orçado em R$ 91 mil, aproximadamente, mas a prefeitura reserva para o Ecoponto do Cervezão um investimento especial, prevendo a implantação de um parque no entorno da área.

Os três primeiros Ecopontos da cidade (os outros dois ficam no bairro São Miguel e Jardim São Paulo) serão implantados no prazo de 90 dias após a homologação da empresa vencedora da concorrência. Juntos, reúnem recursos na ordem de R$ 250 mil, repassados pela Secretaria de Estado de Meio Ambiente, mais R$ 25 mil que ficarão a cargo do município.

ESPORTES

Da mesma forma que a Educação, a Segurança, o Meio Ambiente, a Inclusão Digital e a cidadania, o esporte é outro alvo contemplado pela prefeitura no Grande Cervezão. Trata-se da construção da quadra poliesportiva coberta da Lagoa Seca. A obra já foi licitada, custará R$ 787,4 mil e os recursos são repassados pelo governo federal. Após a expedição da ordem de serviço, a empresa responsável terá 120 dias para entregar aquele equipamento esportivo concluído.

Paralelamente, o município anuncia para o segundo semestre o início das atividades do programa Segundo Tempo, em Rio Claro. Destinado a crianças e adolescentes de sete a 17 anos e aplicado no horário oposto ao da escola, o programa, reivindicado pelo município ao Ministério do Esporte, em 2010, recebeu a chancela do governo federal e vai atender 1000 crianças rio-clarenses. Serão 10 núcleos, cada qual com 100 participantes e dois deles serão alojados na Lagoa Seca do Cervezão.

INTEGRAÇÃO

A Feira Popular Solidária, inaugurada no Centro Comunitário, dia 18 de abril, para então iniciar um giro periódico pela cidade, começou no Cervezão até por reconhecimento do governo municipal à importância que aquela região adquiriu na composição do perfil populacional, econômico e cultural da cidade. O barracão do centro comunitário, onde a feira foi realizada, tem – a propósito – a promessa de ser concluído pela administração municipal com a colocação de portas, janelas, instalação da rede elétrica e hidráulica, entre outros benfeitorias.

“A Zona Norte, o Grande Cervezão integram-se a olhos vistos ao desenvolvimento de Rio Claro, destacando o elemento humano, as pessoas como o centro das atenções de nossas políticas de transparência administrativa, desenvolvimento sustentável, democracia participativa e excelência nos serviços públicos”, lembrou o prefeito Du Altimari. Ele destacou, ainda, que, “com a retirada dos trilhos da ferrovia, no trecho entre a Avenida 24 e o distrito de Batovi, a região do Cervezão ficará mais integrada, como de resto toda a cidade sentirá essa unificação também física, já que nunca estivemos desconectados no aspecto espiritual e na afeição que dedicamos a Rio Claro”, conclui o prefeito.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Pesquise as licitações no seu segmento agora

    Preencha seus dados para concluir a pesquisa

    Confira quantas oportunidades de venda existem no momento.
    Digite nome, e-mail e telefone para ver os resultados.





    Oportunidades de negócio esperando por você

    Aproveite o nosso período de teste gratuito e tenha sucesso no mercado de licitações.

    Licitações e dispensas