Governo do Estado vai duplicar a PR-445, entre Londrina e Cambé

O governador Beto Richa autorizou nesta quinta-feira a abertura de licitação para duplicar um trecho de 16 quilômetros da PR-445, entre os municípios de Londrina e Cambé. Vão ser construídos 13 viadutos e trincheiras, com investimentos estimados em 104 milhões de reais. O Governo do Estado vai licitar a intervenção em três trechos. Beto Richa destacou que a obra é uma forte reivindicação do povo, pois dará mais tranqüilidade e segurança aos usuários da rodovia. A obra atende as metas propostas pelo Plano de Governo 2011/2014, que busca eliminar os principais gargalos logísticos do Estado. O trecho que vai ser duplicado concentra a maior parte dos acidentes registrados na PR-445. De acordo com o DER, neste ano foram registrados 409 acidentes na rodovia, com 22 mortes. Ainda em Londrina, o governador inaugurou a nova sede da Procuradoria Regional do município, acompanhado do procurador-geral do Estado, Julio Cesar Zem Cardozo. A sede de Londrina atende outras nove comarcas, que abrangem 19 municípios e 12 distritos. O procurador-geral do Estado disse que o novo local dá mais condições de trabalho e maior estrutura de atendimento ao cidadão. O prefeito de Londrina, Barbosa Neto, agradeceu os investimentos do Governo do Estado na cidade e destacou a importância da duplicação para a redução dos acidentes. De acordo com o governador, os trabalhos na PR-445 devem começar no ano que vem, após o processo de análise da licitação, que leva em torno de 90 dias pelo grande porte da obra. (Repórter: Fernando Lopes)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Pesquise as licitações no seu segmento agora

    Preencha seus dados para concluir a pesquisa

    Confira quantas oportunidades de venda existem no momento.
    Digite nome, e-mail e telefone para ver os resultados.





    Oportunidades de negócio esperando por você

    Aproveite o nosso período de teste gratuito e tenha sucesso no mercado de licitações.

    Licitações e dispensas