Governador descarta mudar projeto e diz que DF pode ficar fora.

O governador do Distrito Federal, Rogério Rosso (PMDB), se recusou a diminuir a capacidade do estádio Mané Garrincha para a Copa/2014, planejado para ter 71 mil lugares e custar mais de R$ 700 milhões.

Em reunião com o ministro Orlando Silva (Esporte) nesta terça-feira, Rosso disse que o projeto do Mané Garrincha não será reduzido para a capacidade mínima exigida pela Fifa, como havia pedido o ministro. “Esse é o único projeto que temos. Ou será esse projeto ou Brasília não será sede”, disse o governador.

Mesmo com o atraso das obras, o governador disse que Brasília continuará na disputa para abrir a Copa-2014. “Faremos tudo que puder”, disse Rosso. O governador disse ainda que o estádio estará pronto dentro do prazo estipulado pela Fifa. “O consórcio que assinar o contrato sabe que os prazos são exíguos”, afirmou.

Na reunião com o ministro, Rosso anunciou a nova licitação para reforma do estádio, que deverá ser publicada nesta quarta-feira. O projeto será o mesmo que foi alvo de críticas pelo Tribunal de Contas do DF. Mas, para se ajustar ao orçamento, o governo pretende enxugar cerca de R$ 40 milhões, e fazer a obra por R$ 702 milhões.

publicado por: Ari Resch
ari.resch@gaz.com.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Pesquise as licitações no seu segmento agora

    Preencha seus dados para concluir a pesquisa

    Confira quantas oportunidades de venda existem no momento.
    Digite nome, e-mail e telefone para ver os resultados.





    Oportunidades de negócio esperando por você

    Aproveite o nosso período de teste gratuito e tenha sucesso no mercado de licitações.

    Licitações e dispensas