Formalização de microempreendedores chega a 40% da meta do governo.

O governo contabiliza cerca de 400 mil inscrições no programa Microempreendedor Individual, um ano depois de lançado, cerca de 40% do contingente de um milhão esperado até o fim de 2010.

A formalização de pequenos negócios é o objetivo do programa, que tem a isenção de vários tributos federais e cota previdenciária única, além de inclusão no regime de tributação Simples se o faturamento anual ficar em torno de R$ 36 mil.

Vendedores de roupas e acessórios e cabeleireiros lideram as inscrições como microeemprededores individuais, com 9,55% e 7,27% do total, seguidos por proprietários de casas de chá, cafés e sucos e de minimercados. As informações são do Ministério do Desenvolvimento.

O programa foi lançado pelo governo no início de julho de 2009, com a finalidade de atrair para a formalização milhões de pessoas que trabalham por conta própria, como comerciantes ou prestadores de serviços, mas sem registros e recolhimento de impostos. Formam o chamado mercado informal no país, que tem números significativos estimados pelos analistas.

Os microempreededores individuais têm incentivos como a dispensa de contabilidade formal (livro caixa, livro registro de inventário, livro registro de entradas) e de levantar balanço patrimonial e resultado econômico anual. Mas não podem ter participação em outra empresa como sócios ou titulares.

Empresas deste segmentos são dispensadas de protocolos exigidos normalmente pela Receita Federal, que também simplifica a inscrição no Cadastro Nacional das Pessoas Jurídicas (CNPJ) para os empreendedores individuais.

Escritórios de contabilidade optantes do Simples são obrigados a dar orientação gratuita a esse segmento sobre como devem prestar contas ao Fisco. Além disso, nas esferas estadual e municipal, a documentação é simplificada e o registro, automático.

Os microempreendedores também ficam isentos dos tributos federais (Imposto de Renda, PIS, Cofins, IPI e CSLL) e pagam o valor fixo mensal de R$ 57,10 (comércio ou indústria) ou R$ 62,10 (prestação de serviços), que são destinados à Previdência Social, ao ICMS (R$ 1) e ao ISS (R$ 5).

A contribuição permite o acesso a benefícios como auxílio-maternidade, auxílio-doença, aposentadoria, além de acesso garantido a pequenas licitações governamentais.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Pesquise as licitações no seu segmento agora

    Preencha seus dados para concluir a pesquisa

    Confira quantas oportunidades de venda existem no momento.
    Digite nome, e-mail e telefone para ver os resultados.





    Oportunidades de negócio esperando por você

    Aproveite o nosso período de teste gratuito e tenha sucesso no mercado de licitações.

    Licitações e dispensas