Folha vem na onda.

Por Lucas Conejero em 24/03/10 23:04 GMT-03:00

No último domingo (24/3), a Folha de S. Paulo – um dos maiores jornais do Brasil – publicou reportagem sobre a construção do estaleiro que ameaça as ondas do Titanzinho, Fortaleza (CE).

Sob o título “Celeiro de surfe no Ceará pode dar adeus às ondas”, o texto da repórter Renata Batista segue a linha de questionamento relacionada ao impacto sócio-ambiental que a obra deve causar na região.

O portal Waves publicou texto sobre o tema ainda no mês de fevereiro deste ano e vai continuar acompanhando o desdobramento dos fatos com atenção.

“O curioso desse episódio é que o estaleiro pertence a Transpetro, ligada à Petrobrás, que declara em seu site ser “uma das grandes parceiras do surfe brasileiro” pelo fato de o esporte e a empresa priorizarem “a consciência ecológica e preservação ambiental,” escreve a repórter Batista.

O texto de apoio é ainda mais incisivo. Com um título categórico: Local serve de escola para criança carente, a reportagem apresenta vários exemplos de jovens da comunidade que tem – e tiveram – no surfe a única pespectiva de uma vida mais digna.

“Acabar com a praia do Titanzinho é uma falta de amor à natureza e de noção urbanística”, protesta João Carlos Sobrinho (Fera) em citação de destaque.

Fera é legend no pico e é fundador da Escola Beneficente de Surfe do Titanzinho. A escola é mantida por doações e atende – de graça – aproximadamente 40 crianças da comunidade. Entre os alunos de sucesso, nomes como Pablo Paulino e André Silva.

A batalha De um lado, governo do Estado, Petrobras e empresários do setor. Do outro, prefeitura de Fortaleza, comunidade local, movimento ambiental e surfistas. Pelo visto, a briga está só no começo.

O governo do Estado se defende. Afirma que pretende destruir o point do Titã e construir um fundo artificial a 400 metros do pico. A Petrobras avisa que ainda é cedo para falar sobre a escolha do local da obra. A prefeitura, por sua vez, diz que tem planos de exploração turística da região.

O projeto de construção do estaleiro encontra-se em licitação. Não há previsão para o início das obras. Seu custo estimado: R$ 220 milhões.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Pesquise as licitações no seu segmento agora

    Preencha seus dados para concluir a pesquisa

    Confira quantas oportunidades de venda existem no momento.
    Digite nome, e-mail e telefone para ver os resultados.





    Oportunidades de negócio esperando por você

    Aproveite o nosso período de teste gratuito e tenha sucesso no mercado de licitações.

    Licitações e dispensas