Fim de novela: cozinha abre na terça-feira.

O antigo prédio do Colégio Olinda Truffa será demolido no segundo semestre deste ano para dar lugar uma nova construção…

Publicado em 27 de Março de 2010, às 8h44min | Thiago Leandro | Fonte: Vanelirte Moretto / Gazeta do Paraná

A solução para o problema da falta de espaço ao preparo da merenda escolar no Colégio Estadual Olinda Truffa de Carvalho ao que tudo indica chega na próxima terça-feira (30). A novela da cozinha do colégio teve início em 11 de setembro, dia em que o espaço foi interditado pela Vigilância Sanitária de Cascavel por apresentar problemas na estrutura física e oferecer riscos. A solução paliativa, após meses de tentativas de improvisar espaço para uma cozinha, veio no início deste ano com a construção de uma nova cozinha.
Parte da estrutura antiga foi demolida para dar lugar as reformas e adaptações do espaço. Segundo a vice-diretora do Olinda, Marilda Bianco, a nova cozinha volta a funcionar no dia 30 de março. Ontem (26) funcionários da construtora concluíam os trabalhos da parte interna da cozinha, restando apenas alguns detalhes da parte externa a serem finalizados. A reforma teve custo de R$ 27 mil. “Agora está tranquilo, temos uma cozinha em bom estado e condições de trabalho, tudo que foi pedido foi atendido”, disse Marilda. O novo espaço conta com prateleiras em alvenaria para armazenar os alimentos, pia e balcão novos, entre outros itens.
Para que a cozinha do Olinda volte a funcionar na terça-feira é necessário que a Vigilância Sanitária conceda a licença sanitária. De acordo com Suzete Lopes de Lima, gerente da Divisão de Vigilância Sanitária, antes que a cozinha volte a funcionar é necessário solicitar a inspeção para que seja verificado se foi construída de acordo com as exigências e com o projeto aprovado. “Caso reabra sem a licença e apresentar alguma irregularidade pode haver penalidade”, disse Suzete.
A diretora do Olinda, Ivonete Maria Venson, informou que a Seop (Secretaria de Estado de Obras Públicas), de Cascavel, esteve no colégio na quita-feira (25) fazendo vistoria da obra e que ficou encarregada de protocolar a solicitar de vistoria para a Vigilância Sanitária. O técnico de obras da Seop, Rubens Pereira Filho, comentou que aguarda o colégio comunicar a conclusão da obra para solicitar a vistoria. “Antes de a obra ser concluída não podemos solicitar a vistoria”.

Novo prédio

O antigo prédio do Colégio Olinda Truffa será demolido no segundo semestre deste ano para dar lugar uma nova construção. A obra está orçada em cerca R$ 3,5 milhões e o projeto contempla sala ambiente, 20 salas de aula, casa do zelador, ginásio de esportes, elevador, área para futuras ampliações, entre outros espaços.
Segundo a diretora Ivonete, na semana passada ela recebeu a visita de representante da Sude (Superintendência de Desenvolvimento Educacional) e foi informada que a obra deve entrar em licitação em breve e as obras têm previsão de iniciar no segundo semestre. “Quanto o prédio for demolido parte dos alunos serão deslocados para estudar na Unioeste (Universidade Estadual do Oeste) e parte no Centro Catequético da Capela Divino Espírito Santo”, informou Ivonete. “A comunidade está acompanhando cada passado e está confiante que a construção da nova unidade inicie neste ano”, acrescentou.
De acordo com o engenheiro civil e chefe regional da Seop/Cascavel, Edgar Miotto, o projeto arquitetônico e complementares do Colégio Olinda Truffa está aprovado pela Seplan (Secretaria de Planejamento) e retornou a Curitiba para indicação de recurso. Assim que is recursos forem indicados a obra irá para licitação.

João Guilherme

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Pesquise as licitações no seu segmento agora

    Preencha seus dados para concluir a pesquisa

    Confira quantas oportunidades de venda existem no momento.
    Digite nome, e-mail e telefone para ver os resultados.





    Oportunidades de negócio esperando por você

    Aproveite o nosso período de teste gratuito e tenha sucesso no mercado de licitações.

    Licitações e dispensas