Criação da Faenge gera crise na UFGD.

Alunos disputam equipamentos e disciplinas; Universidade anuncia R$ 4,8 milhões em investimentos

Valéria Araújo

DOURADOS – A criação da Faculdade de Engenharia (Faenge), por meio da desveiculação da Faculdade de Tecnologia (Facet), vem gerando crise na Universidades Federal da Grande Dourados (UFGD). Alunos dos cursos de engenharia de produção, alimento e energia disputam com os estudantes da Facet os mesmos equipamentos e disciplinas. Entre quatro mil materiais, quatro, que seriam os mais caros da faculdade de engenharia, além de 16 disciplinas, estão em fase de negociação entre as faculdades.
Ontem, pela manhã, os estudantes se reuniram com a reitoria no Campos I da UFGD. De acordo com a universitária do 3º ano de engenharia de alimentos, Lígia Alcalde, o encontro foi uma importante oportunidade dos alunos reivindicarem o que acreditam ser direito deles. Segundo ela, na ocasião, eles foram orientados a elaborar uma proposta e apresentar ao Conselho Universitário, órgão que autoriza ou não as mudanças dentro da universidade. “Vamos nos organizar ainda melhor e reunir documentações necessárias para convencer o Couni de que precisamos dos equipamentos. Só estamos lutando por algo que já é nosso”, lembra.
Ela explica que os materiais de laboratório por exemplo, que podem ser usados em ambas as faculdades, são indispensáveis para o curso de engenheria. “É a aplicação do conhecimento científico na prática. Sem equipamento adequado a formação profissional do aluno fica comprometida”, lembra.
Quanto às disciplinas, ela lembra que apesar de parecidas, se tornam específicas, sendo necessários profissionais da área. “Queremos engenheiros. Eles estão diarimente vivendo a profissão e melhor capacitados para orientar sobre ela”,afirma.
Conforme a estudante a política que está sendo criada pelo conselho que cria a Faenge, é que os equipementos ficam na Facet e 50% dos professores da Faculdade de Tecnologia ministrem aulas na de Engenharia.

OUTRO LADO
A assessoria de comunicação da UFGD, disse que a reitoria convocou os alunos para esclarecer que nenhuma decisão é definitiva e que depende de Couni para ser aprovada. Segundo ela, tudo o que está sendo feito, tem por objetivo melhorar a qualidade e não ao contrário. A assessoria informou ainda que o Reitor Edson Desidério, tranquilizou os alunos informando que nada vai ser tirado deles; pelo contrário. A Reitoria expôs projeto de R$ 4,8 milhões para a construção da sede da Faenge, engenharias e laboratórios. O projeto entra em fase de licitação nos próximos dias e a previsão é de que no segundo semestre as obras iniciem e sejam entregues em 2011. Também foi orientado que os alunos procurassem os Centros Acadêmicos e através destas instâncias elaborassem proposta ao Couni.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Pesquise as licitações no seu segmento agora

    Preencha seus dados para concluir a pesquisa

    Confira quantas oportunidades de venda existem no momento.
    Digite nome, e-mail e telefone para ver os resultados.





    Oportunidades de negócio esperando por você

    Aproveite o nosso período de teste gratuito e tenha sucesso no mercado de licitações.

    Licitações e dispensas