Contorno Norte será liberado em outubro.

A primeira fase, licitada em dezembro de 2008, ao custo de R$ 146 milhões, será entregue em outubro, dentro do cronograma estabelecido e liberada ao tráfego em seguida, absorvendo cerca de 15 mil veículos/dia

19/04/2010 | 12:08 | Reginaldo Eloi – Agência CHN

O PAC 2 (Programa de Aceleração do Crescimento), do Governo Federal, poderá custear a segunda etapa do Contorno Norte de Maringá, com a construção de novos viadutos e duplicação de pista. Isso, para o ano que vem, depois que for concluída fase atual e liberado ao tráfego.

Os projetos de ampliação do contorno estão sendo desenvolvidos pela prefeitura em conjunto com o Departamento Nacional de Infraestrutura em Transportes (Denit), responsável pelo acompanhamento da obra.

De acordo com o engenheiro, José Carlos Belluzzi, do Denit, que supervisionado a obra, o projeto atual do contorno contempla apenas 6,4 km de pista dupla e 11 viadutos.
Uma nova licitação deverá ser aberta para a duplicação dos demais 11,1 km de pistas simples, construção de dois novos viadutos – nas avenidas Pedro Taques e São Judas Tadeu e mais uma pista em outros cinco viadutos – Mandacaru, kakogawa, Guaipó, Franklin Roosvelt e Tuiti, que foram construídos com pista simples.

Belluzzi diz que a prefeitura prepara os projetos para uma nova licitação. Possivelmente, esta segunda fase entraria no PAC 2, lançado recentemente pelo Governo Federal.

O diretor-presidente da Urbamar, Fernando Camargo, confirma que os projetos estão sendo discutidos com o Denit. “Os dois novos viadutos atendem a reivindicação da população”, comenta. Ele diz que ainda não foi definida a fonte de recurso, mas como a obra já está incluída no PAC, é possível que os recursos venham deste programa.

A primeira fase, licitada em dezembro de 2008, ao custo de R$ 146 milhões, será entregue em outubro, dentro do cronograma estabelecido e liberada ao tráfego em seguida, absorvendo cerca de 15 mil veículos/dia, que atualmente trafegam pelas avenidas Colombo e Morangueira.

O atraso na obra, ocorrido em decorrências de chuvas, será compensado pela agilidade que foi empreendida pela empreiteira Sanches Tripoloni.

De acordo com o engenheiro do Denit, já foram executadas 62% das obras de arte (viadutos, pontes) e 80% da terraplanagem. Em julho começa a pavimentação e em agosto a parte de urbanismo, iluminação e sinalização. “No total estamos com 46% das obras concluídas”, frisa Belluzzi.

Esta fase, licitada por R$ 146 milhões, teve revisão de contrato – devido a obras complementares – de mais R$ 35 milhões, totalizando pouco mais de R$ 180 milhões.
Já a segunda etapa ainda não tem valores definidos.

Contorno transforma Colombo em via urbana
Entre as transformações que ocorrerão com a conclusão do Contorno Norte, está a retirada de todo o tráfego pesado da avenida Colombo, atualmente rodovia federal.
“Com a implantação do contorno vamos fazer uma permuta com o Governo Federal que vai assumir a rodovia do contorno e a Colombo passará a ser uma vida urbana”, explica Camargo.

Com isso, a atual rodovia será revitalizada. Já a avenida Morangueira, que também terá diminuição no tráfego de caminhões, continuará sob a administração do Estado.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Pesquise as licitações no seu segmento agora

    Preencha seus dados para concluir a pesquisa

    Confira quantas oportunidades de venda existem no momento.
    Digite nome, e-mail e telefone para ver os resultados.





    Oportunidades de negócio esperando por você

    Aproveite o nosso período de teste gratuito e tenha sucesso no mercado de licitações.

    Licitações e dispensas