Auricchio gastará R$ 24 milhões para ampliar complexo hospitalar

Fábio Martins

Depois de receber negativa do BNDES (Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social) para liberar montante no valor de R$ 30 milhões, o prefeito de São Caetano, José Auricchio Júnior (PTB), deu ontem pontapé inicial em concorrência pública para contratar empresa para realizar a ampliação do Complexo Hospitalar Márcia e Maria Braido, no bairro Olímpico. Para isso, o petebista projeta despender cerca de R$ 24 milhões, com recursos próprios.
A licitação, que terá abertura em 18 de março, se dará em regime de empreitada por valor unitário e do tipo menor preço global, cujo objetivo é promover reforma do anexo de Saúde e interligação entre os três edifícios. A verba servirá para contemplar além da obra civil, mobiliário e equipamento.
De acordo com a Prefeitura, a diferença do valor pleiteado corresponde a novos equipamentos que seriam adquiridos para os hospitais já existentes. Obtenção essa que ainda se fará até a entrega das obras, previstas para 2012.
O financiamento pleiteado há um ano e meio foi indeferido pela União, sob alegação de falta de documentos por parte do Palácio da Cerâmica. Contudo, o Paço informou que não há documentação pendente e que todas solicitações foram entregues à Secretaria de Tesouro Nacional.
Mesmo com sinal fechado, Auricchio disse que a intervenção será executada nos mesmos moldes e que o empréstimo só agilizaria o processo de ampliação. Concepção contrária ao da assessora especial de Ações Sociais, Regina Maura Zetone, que avaliou que sem aporte federal, a obra seria “pouco mais modesta”. O prefeito ressaltou, porém, que nada impede ainda que o Paço consiga o dinheiro durante o andamento das obras.

Paço ainda tentará viabilizar liberação de recurso federal

A Prefeitura de São Caetano informou que ainda aguarda parecer definitivo e que continuará tentando viabilizar a liberação dos R$ 30 milhões junto ao BNDES. O Paço anuncia que entende o contingenciamento que o governo federal vem divulgando amplamente e que se concretizará nos próximos meses. Todavia, afirma lamentar apenas que o corte orçamentário tenha atingido inclusive investimentos na Saúde, como é o caso pleiteado por São Caetano.
Auricchio afirma não acreditar em perseguição política, porém, nos corredores, comenta-se que a negativa se deu devido a cor partidária.
Com R$ 773,4 milhões de expectativa orçamentária para o exercício de 2011, São Caetano prevê R$ 216,5 milhões (28% da peça) para a área da Saúde.
Com o anexo chega também o Hospital da Mulher, que será erguido em área de 4.000 m², que hoje pertence ao estacionamento do Maria Braido, novas UTIs (Unidades de Terapia Intensiva) e Centro de Especialidades Médicas. O sistema contará ainda com ala de oncologia.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Pesquise as licitações no seu segmento agora

    Preencha seus dados para concluir a pesquisa

    Confira quantas oportunidades de venda existem no momento.
    Digite nome, e-mail e telefone para ver os resultados.





    Oportunidades de negócio esperando por você

    Aproveite o nosso período de teste gratuito e tenha sucesso no mercado de licitações.

    Licitações e dispensas