Aeroporto terá edital até o dia 30.

Em visita a Natal ontem, para assinatura de diversos convênios com o governo do Estado, o ministro do Turismo Luiz Barreto anunciou que até o dia 30 deste mês a Empresa Brasileira de Infra-Estrutura Aeroportuária (Infraero) deverá publicar o edital para a obra do Aeroporto de São Gonçalo do Amarante.

A obra, considerada “fundamental” para estruturar o Estado e permitir o campeonato mundial de futebol de 2014, deverá finalmente sair do papel. “Estamos no aguardo que o Ministério da Defesa e a Infraero faça a soltura até o final do mês, do edital para o aeroporto de São Gonçalo do Amarante. Esse é um acerto da governadora Wilma de Faria com o ministro (Nelson) Jobim. É um investimento importante não só para a Copa, mas para o turismo e a economia do Estado e do país”, afirmou Barreto, que espera melhorias nos aeroportos e nas estruturas aeroportuárias, nos próximos quatro anos.

A curto prazo, não há previsão para reformas na principal porta de entrada para o turista no Estado, o Aeroporto Internacional Augusto Severo, em Parnamirim. O terminal, segundo o ministro, não está incluído na série de obras emergenciais também anunciadas pelos órgãos federais, para construção de terminais provisórios, que darão suporte ao fluxo enquanto as obras maiores, como a de São Gonçalo e do aeroporto internacional de Cumbica (SP), não são concluídas.

Convênios

Durante a manhã, em solenidade no Centro de Convenções de Natal, o ministro Luiz Barreto e a governadora Wilma de Faria firmaram dez convênios para execução de obras de infra-estrutura e qualificação de mão-de-obra no setor turístico, em Natal e cidades do interior. Além dos contratos, o ministro participou da solenidade de certificação de 1.122 alunos de programas de qualificação profissional promovido em parceria com o governo do Estado e o Sistema Nacional do Comércio (Senac), e lançou o programa “Olá Turista” de capacitação de pessoal, nas cidades sedes da Copa de 2014.

Participaram ainda do evento, a prefeita Micarla de Souza, representantes das secretarias municipal e estadual de Turismo, da Emprotur, da Federação do Comércio (Fecomércio), Banco do Nordeste (BNB), da Fundação Roberto Marinho, além de estudantes e instrutores dos cursos.

Os convênios totalizam R$ 6,5 milhões em investimentos para melhoria dos serviços oferecidos nas cidades que compões os pólos turísticos potiguar. “A política é para fortalecer o turismo não só em Natal, mas no interior, reforçar novos acessos, como o pólo de Seridó, o pólo Tibau-Pipa, e Natal que é a grande porta de entrada não só do turismo brasileiro, mas para o internacional também”, observa o ministro.

Segundo a governadora Wilma de Farias a parceria com o governo federal e a liberação de recursos são medidas definitivas e imediatas para beneficiar os municípios que fazem parte do pólo Costa das Dunas e Costa Branca, além da recuperação de sítios arqueológicos. “É mais uma vitória para o turismo potiguar, que ao longo dos anos tem se consolidado, mesmo em tempos de crise financeira. São investimentos importantes para a preparação do Estado para a Copa de 2014, nos dois eixos, tanto de infra-estrutura quanto de formação de pessoal.

Ministério libera uma contrapartida

Os convênios firmados entre o governo do RN e o Ministério do Turismo antecipam as ações do programa de Desenvolvimento de Turismo Nacional (Prodetur). A medida, explica o secretário estadual de Turismo Fernando Fernandes busca evitar o ocorrido em edições anteriores, quando os projetos foram feitos somente após a liberação dos recursos pelo Prodetur Nacional retardando a execução das obras.

“O Ministério foi sensível em liberar esta contrapartida, antecipando para o RN a realização de obras, de curto prazo, para a Copa de 2014”, afirma. A previsão é que até o último trimestre algumas obras sejam iniciadas.

A prefeita Micarla de Sousa destacou a responsabilidade das parcerias nas três esferas. Os projetos na área de mobilidade urbana de Natal receberam do governo federal empréstimos na ordem de R$ 400 milhões.

O programa Olá Turista do Ministério do Turismo, coordenado pela Fundação Roberto Marinho, busca profissionalizar mão de

obra do trade turístico, por meio de cursos virtuais e gratuitos de línguas estrangeiras, além de projetos de sinalização turística das cidades envolvidas. “São muitos os desafios em relação ao tema da Copa do Mundo, não só em Natal mas nas outras 11 cidades, quanto à complexidade de cada e certamente a qualificação profissional é uma das mais importantes”, disse Barreto

Bate-papo – Luiz Barreto » Ministro do Turismo

O atraso no início das obras para a construção do Estádio Arena das Dunas, compromete a realização da Copa de 2014 aqui em Natal?
O atraso não é só em Natal, mas nas outras cidades sedes. Esse momento inicial é um momento difícil. Mas Natal teve um contato produtivo com a Fifa e está cumprindo o cronograma estabelecido e depois que começar as obras deve entregar tudo a tempo. Em todas as experiências que conheço, seja na Alemanha e até agora na África do Sul, este começo é o mais crítico. Porque é o período de processos de licitação, de concessão, concorrência pública, é o ordenamento e modelagem dos procedimentos futuros e isso demora. Mas depois que começa, gira mais rápido. O secretário Fernando Fernandes garantiu que vão concluir no prazo. Claro, que tem que fazer a lição de casa, fazer planejamento, mas vamos dar um tempo para ver o andamento, mas acredito que tudo estará pronto até lá.

Qual o legado de um campeonato desse porte para o Estado?
O Estado receberá investimentos maciços em infra-estrutura, tanto aeroportuária, de mobilidade urbana, a qualificação profissional e o espaço de promoção. Para ter ideia, o governo federal liberou, no convênio firmado no dia 13 de janeiro, R$ 8 bilhões para obras de urbanização e transporte público nessas capitais. É época também de aproveitar com a Copa do Mundo o espaço de mídia para divulgação e promoção dos nossos destinos, inclusive trabalhando para aumentar o fluxo de sulamericanos. O foco não é só o turista europeu, mas atrair um maior número de colombianos, chilenos, argentinos, venezuelanos. Para isso estamos ampliando o parque hoteleiro nesses estados. Semana passada, em Fortaleza lançamos, pelo banco do Nordeste, uma linha especial de crédito para o Nordeste, com 20 anos de prazo e condições especiais.

E a rede hoteleira do nosso Estado é satisfatória?
Acredito que dará conta. Tanto Natal, quanto o entorno já tem uma rede razoável e há 4 anos para melhorar. Com construção de novos empreendimentos. Temos aqui ainda a utilização eventual do Porto, que deverá ser ampliada, trabalhada também nestes quatro anos que antecedem a Copa e até lá deverá hospedar cruzeiros. Há muito a ser feito, mas a rede em Natal não apresenta tantos problemas e nem há preocupação como em Cuiabá e Curitiba.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

    Pesquise as licitações no seu segmento agora

    Preencha seus dados para concluir a pesquisa

    Confira quantas oportunidades de venda existem no momento.
    Digite nome, e-mail e telefone para ver os resultados.





    Oportunidades de negócio esperando por você

    Aproveite o nosso período de teste gratuito e tenha sucesso no mercado de licitações.

    Licitações e dispensas