Adutora sob os cuidados do governo.

Agreste // Governador assina compromisso para assumir as obras do empreendimento que beneficiará cerca de 1,9 milhão de pessoas

O governador do estado, Eduardo Campos, assinou ontem o compromisso com o Ministério da Integração Nacional para assumir a obra da Adutora do Agreste, cuja finalidade é beneficiar cerca de 1,9 milhão de pessoas com abastecimento de água. Apesar de receber a responsabilidade de construir a adutora, o maior projeto hídrico de Pernambuco, o governo vai contar com o financiamento do Ministério, pelo menos nos custos da realização do projeto, cujo edital deverá ser publicado ainda neste mês.

Apenas a fase do projeto vai custar aproximadamente R$ 15 milhões, dos quais 90% (cerca de R$ 13,5 milhões) ficarão a cargo do Ministério, de acordo com o compromisso assinado ontem. É uma licitação única, a ser assumida por somente uma entidade. O projeto ficará dividido em quatro etapas, ou lotes. O primeiro é o mais complexo, e pois corresponde ao sistema de captação da água que virá do chamado Ramal do Agreste da transposição do Rio São Francisco.

Essa obra será realizada em uma localidade conhecida como Ipojuca, no município de Arcoverde, a 252 quilômetros do Recife. Além desse sistema, a primeira etapa vai incluir também a estação de tratamento de água e as adutoras que abastecerão municípios do Agreste central e setentrional, como Pesqueira, Pedra, Venturosa e Iati. O segundo lote envolve as adutoras para os municípios entre Jataúba e Lagoa do Ouro. Nas outras duas etapas, estão as adutoras para municípios como São Caetano, Bonito e Gravatá.

Após a publicação do edital, o governo terá 90 dias para contratar o vencedor da licitação. Segundo João Bosco Almeida, secretário de Recursos Hídricos do estado e presidente da Companhia Pernambucana de Saneamento (Compesa), a expectativa é receber a primeira etapa do projeto até outubro, quando deverá ser publicado o edital das obras. “Existe o compromisso do Ministério de ajudar no financiamento das obras, mas ainda não foi assinado convênio sobre isso, até porque só teremos a projeção dos custos quando o projeto ficar pronto”, disse Almeida.

Os primeiros cálculos do governo, porém, apontam que a Adutora do Agreste deverá ser construída a um custo total de R$ 1,5 bilhão. A previsão é de que o novo sistema leve a água da transposição do São Francisco para o sistema de abastecimento a partir de junho de 2011. São 70 municípios beneficiados pela obra, que terá uma extensão de 1.100 quilômetros.

A água transportada será a do Rio São Francisco, a partir do sistema criado com a transposição do rio. As obras, do governo federal, serão levadas para o sistema de captação de água, em Arcoverde, que vai distribuir para a adutora, através do Ramal do Agreste, um canal de aproximadamente 60 quilômetros que trará a água do chamado Eixo Leste da transposição.

O Senado Federal aprovou ontem o projeto de Sustentabilidade Hídrica do Estado de Pernambuco, autorizando o estado a realizar a operação de crédito externo com o Banco Mundial (Bird) no valor de R$ 190 milhões. A reunião com a diretoria do Bird, para definir os parâmetros do projeto, está marcada para 21 de janeiro. A expectativa é de começar a executar o projeto em março.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

    Pesquise as licitações no seu segmento agora

    Preencha seus dados para concluir a pesquisa

    Confira quantas oportunidades de venda existem no momento.
    Digite nome, e-mail e telefone para ver os resultados.





    Oportunidades de negócio esperando por você

    Aproveite o nosso período de teste gratuito e tenha sucesso no mercado de licitações.

    Licitações e dispensas